“É impossível não sentir vergonha pelo Brasil”, diz Barroso

Ministro do STF falou sobre valores éticos no mundo contemporâneo no fórum “A Revolução do Novo”, realizado por VEJA e EXAME em parceria com a Coca-Cola

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta segunda-feira (5) que “é impossível não sentir vergonha pelo que acontece no Brasil”. O ministro palestrou no terceiro encontro do fórum A Revolução do Novo – A Transformação do Mundo, realizado por VEJA e EXAME em parceria com a Coca-Cola, no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo.

O evento discute mudanças na economia, política, tecnologia e sociedade. Barroso abordou o tema “O impacto, a evolução e o futuro dos valores éticos no mundo contemporâneo”.

Para o ministro, o país está devastado e com autoestima baixa, diante da corrupção institucionalizada. “Ela se tornou um modo de vida. As pessoas se surpreendem com o que, de certa forma, sempre souberam”, disse.

Segundo Barroso, é preciso mudar a cultura em que os espertos são mais valorizados do que os honestos. “Sempre foi assim, mas é preciso deixar de ser. O custo moral e econômico pelo qual estamos passando tem que significar um novo começo”, afirmou.

O ministro acrescentou que não dá para descartar o risco de uma “operação abafa” contra a Lava Jato e o combate à corrupção institucionalizada, mas que “todos estão aqui para evitá-lo”. Também defendeu as reformas política, previdenciária e tributária como essenciais para o país.

Com uma visão otimista, Barroso lembrou que há realizações importantes para celebrar em trinta anos de democracia no Brasil, como a derrota da ditadura, da inflação e da pobreza extrema. Do ponto de vista econômico, destacou que no país ainda há uma grande desconfiança em relação à livre-iniciativa do capitalismo. “Vivemos em um socialismo com sinal trocado”, disse.

O ministro destacou que não é só o Brasil que vive um momento de desprestígio da democracia representativa, mas o mundo também. Barroso lembrou ainda que a revolução digital preservou valores como a liberdade, mas pôs em xeque questões como a privacidade e a veracidade das informações.

Para o ministro, o empoderamento feminino e a proteção dos direitos humanos são discussões-chave do mundo contemporâneo. “A história avança para o bem. A busca da felicidade, o respeito ao próximo e à justiça são os valores de ontem e continuam a ser os valores do futuro”, afirmou.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. José Carlos Lopes de Oliveira

    Lágrimas de crocodilos.
    Esse juiz faz parte do STF, o maior patrocinador de impunidades
    que o planeta já tomou conhecimento – para a nossa vergonha.

    Curtir

  2. Sergio Campos

    A vergonha brasileira é exalada ao mundo inteiro diretamente da Praça dos Tres Poderes.

    Curtir

  3. CONN Warrior

    Prezado Barrozo, porque temos que celebrar a DERROTA da ditadura? Pelo que eu bem me lembro foram os melhores anos da minha familia, com pais que trabalhavam e estudavam. Com a tão desejada Democracia vieram desarranjos nunca corrigidos e ainda piorados com Lula e Dilma , ao contrário do esperado. Eu diria que à julgar pelos resultados a sociedade Brasileira vive melhor sob a batuta do Exėrcito do que sob a baderna Institucional vivida nesta Pseudo-democracia. Não temos Ordem nem Progresso, e nisto tambėm as FFAA são responsáveis.

    Curtir

  4. Ministro. É somente esperto quem se valendo de uma cadeira de ministro no STF pretende, contra o contra texto explícito da Constituição Federal, legalizar “casamento” entre pessoas do mesmo sexo. É só esperto, nada mais que isso…

    Curtir

  5. Valério Seccadio

    Palavras corretas, Barroso.

    Curtir

  6. Falou o símbolo da vergonha nacional.

    Curtir

  7. Os Brasileiros merecem o que esta acontecendo. Leia as noticias do passado e vejam quanta gente alertou sobre a corrupção e foram ignorados. Veja quanta gente alertou sobre a corrupção durante a Copa, etc… A elite brasileira e preguiçosa e inútil. Os intelectuais não fazem nada. Todo mundo sempre soube da corrupção mas optaram por ficarem quietos.

    Curtir

  8. Vemos no que deu deixarmos um proletário chegar à presidência da República. Mas ainda não é ao que o ministro se referiu. As oportunidades aos espertos precisam ser estimuladas, mas supervisionadas; o que parece acontecer MUITO VAGAROSAMENTE por aqui, não é senhor ministro?

    Curtir

  9. Que moral o STF tem para falar de corrupção?

    Curtir

  10. Na verdade, ele quis dizer “vergonha DO Brasil”.

    Curtir