Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Draghi diz que BCE fará tudo para preservar Zona Euro, mas mercados reagem mal

A decisão do Banco Central Europeu (BCE) de manter a taxa básica de juros a 0,75%, seu menor nível, e as declarações do presidente da entidade, Mario Draghi, não ser viram para acalmar os mercados, que reagiram mal devido à decepção provocada pelo fato de que o BCE não atuará imediatamente para conter a crise da dívida.

Mas, segundo Draghi, o conselho de diretores do BCE afirmou de forma unânime sua determinação de fazer tudo o que for necessário para preservar a Zona Euro.

“A decisão de fazer todo o possível para preservar a Zona Euro foi adotada por unanimidade”, afirmou Draghi em uma coletiva de imprensa em Frankfurt, depois de anunciar que o BCE está disposto a intervir no mercado da dívida para fazer frente às crise da moeda única.

Ele advertiu ainda aos investidores que é “inútil” especular contra o euro, que é uma moeda “irreversível”.

“Ele fica. Fica. Fica. É inútil apostar contra o euro”, enfatizou.

O rendimento do bônus a 10 anos da Itália superou os 6% nesta quinta-feira no mercado da dívida e o da Espanha foram além dos 6,803% devido à frustração dos mercados.

Pouco depois das 10H00, o rendimento do bônus italiano subia a 6,161% (contra 5,931%) e o da Espanha passava a 6,803% (contra 6,732%), depois de ter se distendido fortemente nas primeiras horas do dia pelas expectativas geradas pelo discurso do presidente do BCE.

As principais bolsas europeias operavam nesta quinta-feira com baixas que também se acentuaram depois da coletiva de Draghi.

As quedas chegaram a superar os 5% no mercado de Madri e os 2% tanto em Paris quanto em Frankfurt. Os rendimentos dos títulos da dívida italianos a dez anos superavam, por sua vez, os 6% no mercado secundário, e os da Espanha se situavam nos 6,80%.