Dólar encerra o dia em baixa após pregão volátil

A moeda norte-americana ficou a maior parte do pregão em alta, mas encerrou a sessão em queda. Ibovespa registra maior pontuação em 37 dias e ações do Facebook atingem a cotação máxima histórica nos EUA

Numa sessão marcada pela volatilidade, o dólar fechou em queda de 2,2380 reais para compra e 2,2395 reais para venda. A moeda norte-americana permaneceu boa parte da tarde em alta nesta quinta-feira. A desconfiança em relação à economia brasileira e a tendência de elevação para o dólar no país, considerando o cenário nos Estados Unidos, voltaram a ser citados como motivos para a valorização, mas no fim da sessão a divisa se reaproximou da tendência externa, onde o dólar caía ante boa parte das moedas de países ligados a commodities.

Mais cedo, a moeda dos EUA reagiu às duas intervenções do Banco Central (BC): a primeira, ao fazer leilão de swap cambial (equivalente à venda de dólares no mercado futuro) e a segunda, ao anunciar nova oferta para esta sexta-feira. Na mínima do dia, às 11h04, sob a influência desses fatores, o dólar no balcão foi cotado a 2,2380 reais, queda de 0,53%. A baixa durou pouco e perto das 13 horas a moeda norte-americana renovava as máximas em relação ao real. Às 13h05, registrou 2,2620 reais, alta de +0,53%.

Embora as operações de swap normalmente tenham o efeito de conter a alta do dólar, profissionais lembraram que as vendas dos últimos dias têm um objetivo claro: a rolagem dos contratos que vencerão no início de agosto. Assim, os efeitos no câmbio diário serão pequenos. “A moeda hoje trabalhou dos dois lados, o de baixa e o de alta. O BC fez rolagem de swaps, mas o mercado é comprador (de dólares). Por isso o dólar sobe”, comentou um profissional à tarde, justificando a alta no Brasil – naquele momento – a despeito de a divisa estar caindo no exterior na comparação com o euro, o iene, o dólar australiano e o dólar canadense. Na reta final, o dólar voltou a oscilar em baixa ante o real, tentando se alinhar ao exterior. No Brasil, o dólar para agosto negociado no mercado futuro – que encerra operações apenas às 18 horas – tinha baixa de 0,69%, para R$ 2,24050.

Leia ainda: BM&FBovespa sobe impulsionada por Petrobras e OGX

Bolsa – O Ibovespa fechou nesta quinta-feira em alta de 1,43%, aos 49.066 pontos, segundo dados preliminares do final da sessão. O valor foi a maior pontuação em 37 dias.

No mercado externo, as ações do Facebook atingiram a cotação máxima histórica de 38,23 dólares, e as bolsas americanas fecharam em alta após passarem grande parte da sessão no vermelho. Os índices acabaram se recuperando com dados positivos dos Estados Unidos e ganharam impulso no fim do pregão por comentários do colunista do ‘Wall Street Journal’ Jon Hilsenrath, sobre a próxima reunião do Federal Reserve. Somente o Nasdaq se manteve em alta durante quase todo o dia, encerrando em 3.605,19 pontos. O índice Dow Jones ganhou 13,37 pontos (0,09%), terminando aos 15.555,61 pontos. O S&P 500 avançou 4,31 pontos (0,26%), para 1.690,25 pontos. O Nasdaq subiu 25,59 pontos (0,71%) e encerrou a 3.605,19 pontos.

Leia também:

BM&FBovespa opera em queda e dólar sobe

(com Estadão Conteúdo e EFE)