Desaceleração da economia corta 83,6 mil vagas no comércio no 1º semestre

Só na capital paulista, ocorreram 63,3 mil homologações no sindicato dos comerciários entre janeiro e junho

A desaceleração nas vendas do comércio que bateu forte no varejo especialmente na época da Copa do Mundo (entre 12 de junho e 13 de julho) teve impacto negativo no emprego do setor. De janeiro a junho, as lojas fecharam com um saldo de vagas formais de menos 83,6 mil, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia também:

Contas do governo têm pior resultado desde 2000 no 1º semestre

Produtividade brasileira estagnou na última década, alerta OCDE

Confiança da indústria é a menor desde abril de 2009

“Não foi só a indústria que demitiu mais que contratou nos últimos meses, mas o comércio também. Foi o pior resultado do saldo de postos de trabalho do setor desde 2007 para um 1º semestre”, observa Fabio Bentes, economista da Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Só na capital paulista, ocorreram 63,3 mil homologações no sindicato dos comerciários no primeiro semestre. É um número 2,7% maior em relação ao mesmo período de 2013.

O impacto da queda nas vendas do setor vestuário no emprego é confirmado pelo Sindicato dos Comerciários de São Paulo. Entre as 21 empresas que fizeram homologações no 1º semestre, o setor predomina em cinco delas; seguidos pelos supermercados, com quatro companhias e pelas revendas de veículos e autopeças, com três empresas.