Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Depois do pânico, bolsas da Ásia fecham em alta

O índice Xangai composto avançou 5,76% e contagiou outros mercados asiáticos

A bolsa da China mostrou recuperação depois do pânico de quarta-feira e fechou em alta nesta quinta. Após sofrer perdas consideráveis durante o pregão, chegando a cair mais de 3%, o índice Xangai Composto reverteu a queda e fechou em alta de 5,76%. O resultado contagiou outros mercados asiáticos: a bolsa de Tóquio teve pequena alta de 0,6%, enquanto Hong Kong avançou 3,89%.

LEIA TAMBÉM:

Entenda a crise que penaliza a bolsa chinesa – e pode afetar o mundo

Dólar dispara e fecha a R$ 3,23 com incertezas sobre a China

Na quarta, um cenário de pânico tomou conta dos mercados de todo o mundo depois de quedas pesadas da bolsa da China. A desvalorização das ações e o temor de estouro do que os analistas chamam de “bolha chinesa” fez o principal índice da bolsa de Xangai cair quase 8%, encerrando em baixa de 5,9%.

Para tentar conter a queda nos preços das ações, a agência reguladora de valores mobiliários da China colocou em prática medidas de emergência. Uma das decisões foi proibir que acionistas controladores que possuam mais de 5% de uma empresa vendam suas ações nos próximos seis meses. Bancos chineses também ampliaram limite de crédito para a compra de ações e autoridades prometeram atuar contra os especuladores.

As altas desta quinta, porém, ainda não aliviam a delicada situação da bolsa da China. Depois de uma valorização de 150% de novembro de 2014 a junho deste ano, a bolsa chinesa iniciou uma trajetória de queda que já dura quase um mês. Nesse período, as empresas listadas em Xangai perderam mais de 3 trilhões de dólares em valor de mercado, em decorrência da queda de mais de 30% nos preços das ações.

(Da redação)