Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Denúncia contra Temer não muda votação de reformas, diz Meirelles

Ministro da Fazenda diz que a denúncia feita pelo procurador Rodrigo Janot na quinta-feira já era esperada, e mantém reforma da Previdência para outubro

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, negou na noite de quinta-feira que a denúncia apresentada pelo procurador Rodrigo Janot contra o presidente Michel Temer possa prejudicar o cronograma de votação das reformas no Congresso. Para ele, a reforma da Previdência deve ser votada e aprovada em outubro.  O processo protocolado no Supremo Tribunal Federal (STF) ontem acusa o presidente de integrar organização criminosa e de obstrução de Justiça.

“Nossa expectativa é o procedimento normal do cronograma. Evidentemente que existe algo, que já era esperado, que será a votação pela Câmara da votação deste assunto [da denúncia contra Temer], mas já estávamos esperando isso, portanto, nossa expectativa é que no mês de outubro seja votada a Previdência”, disse Meirelles, antes de participar de evento na cidade de São Paulo.

A proposta de mudança nas regras da aposentadoria já foi aprovada em comissão especial na Câmara em maio, mais ainda precisa ser votada, em dois turnos, tanto no plenário da Casa quanto no Senado.

O ministro disse que tem conversado muito com os parlamentares sobre a votação da reforma. “Fiz reuniões com as bancadas de todos os partidos da base aliada no Congresso e nessas reuniões discutimos a questão da Previdência de uma maneira exaustiva e profunda. Deixei muito claro, com números concretos, que isso não é uma opção, é uma necessidade. Em alguns anos, se não for feito esta mudança, 80% do Orçamento vai ser ocupado com essas despesas”, disse.

(Com Agência Brasil)