Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

CVM abre mais dois processos para investigar a JBS

Órgão regulador de mercado vai investigar parte do grupo de controle da empresa e atuação de funcionários e acionistas na delação de Joesley Batista

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu dois novos processos administrativos para investigar a JBS. A autarquia já havia iniciado outras cinco ações de investigação sobre a companhia na semana passada, inclusive para apurar eventual prática de insider trading no mercado de câmbio e a atuação do Banco Original, controlada pela J&F Investimentos.

Um dos processos abertos na última terça-feira diz respeito à “veracidade da divulgação dos controladores diretos e indiretos, até os controladores que sejam pessoas naturais, da Blessed Holdings”, que faz parte do grupo de controle da JBS, informa a CVM.

O segundo processo vai analisar a conduta de administradores e acionistas controladores da companhia, em relação aos deveres fiduciários previstos na Lei das S.A., “em razão dos fatos que ensejaram a celebração de acordo de colaboração premiada entre executivos da Companhia e da sua controladora e o Ministério Público Federal”.

Na última sexta-feira, a CVM divulgou que os processos abertos na última semana buscam esclarecer: se houve uso de informação privilegiada para negociação (insider trading) de ações e dólar no mercado futuro; a negociação de ações entre a JBS e seu acionista controlador (FB Participações S.A, que tem entre seus sócios os irmãos Joesley e Wesley Batista); a atuação do Banco Original (que é da J&F, dona da JBS) no mercado de derivativos (um tipo de ativo financeiro); a atuação da JBS no mercado de dólar futuro; detalhes sobre a delação do Joesley Batista.

A empresa enfrenta forte queda nas ações em meio ao envolvimento em investigações judiciais e operações da polícia. Além da Carne Fraca, que investiga um esquema de corrupção envolvendo fiscais da agricultura e frigoríficos, a JBS também é alvo de outras operações da Polícia Federal– a Bullish, que investiga contratos de 8 bilhões de reais uma subsidiária do BNDES com a JBS; a a Greenfield, que investiga o uso irregular de dinheiro de fundos de pensão para a JBS; a Sepsis apura liberação indevida de recursos do fundo de investimentos do FGTS; a Cui Buono, que investiga fraudes na liberação de créditos junto à Caixa Econômica Federal.

Outro lado

Procurada pela reportagem, a JBS disse que recebeu as notificações da CVM e vai responder dentro do prazo. “A Companhia está cooperando completamente com as autoridades para solucionar as questões em aberto”, diz em nota.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ataíde Jorge de Oliveira

    Diante da + Q evidente formação de QUADRILHA
    Para :
    : O cometimento de CRIME de LESA_A_PáTRIA,
    Mormente contra Sistema_F I N A N C E I R O [ L.do Colarinho Branco : 4º+§, & +… ]
    IMPõE
    À Toda A U T O R I D A D E
    { Justiça; MF; Receita!; B.CenTraL!! &Tc } : decreto de medidas cautelares no sentido de
    R E C U P E R AÇãO
    do Q for possível
    A Nação O EXIGE
    VejA

    Curtir

  2. Carlos Macieira

    Para Joesley o crime compensa!!!

    Curtir

  3. Ronaldo Pretti

    Redação: Como a queda vertiginosa das ações JBS foi causada por motivos de interesse pessoal de seus gestores, além do “insider trading”, há uma maneira de pequenos acionistas, e também os grandes, acionarem a empresa para serem ressarcidos dos prejuízos. Talves a CVM obrigar a empresa a comprar essas ações pelo valor de um dia antes da tramoia.

    Curtir

  4. José Smigle

    Alguém acredita que a CVM vai punir a JBS? Isso é apenas mais uma enganação, para dar a impressão de que alguma coisa está sendo investigada. Depois de alguns dias, quando a poeira baixou, engaveta-se tudo e, mais uma vez, premia-se a corrupção. CVM é uma entidade semelhante à OAB, defensora de bandidos e com nenhum caráter, agindo apenas para perseguir os fracos e pequenos infratores.

    Curtir

  5. Até me veio uma ideia…imaginem se encontram algum dos responsáveis por este absurdo e vergonhoso “acordo de delação muito mais que premiada”, que também tenha operado no mercado de câmbio, por esses dias… seria um método perfeito para pagamento de “bola”… desde que não seja descoberto, claro.

    Curtir

  6. Marco Ferrari

    já não tem emprego,um caus,fu////////////

    Curtir