Cronograma da Previdência pode sofrer mudanças, diz Meirelles

Meirelles afirmou que um atraso de um ou dois meses na apreciação do texto não fará diferença

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta segunda-feira que o cronograma da reforma da Previdência poderá sofrer mudanças em função dos acontecimentos políticos da semana passada. Ele se referiu à crise política em que tomou conta do após após a revelação das gravações do presidente Michel Temer, feitas pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS.

Meirelles, entretanto, defendeu que os efeitos positivos a reforma não são imediatos e vão surtir efeito principalmente na próxima década.

Em teleconferência com investidores do JP Morgan e falando em inglês, Meirelles afirmou que um atraso de um ou dois meses na apreciação do texto não fará diferença.

Na semana passada, o relator da proposta na Câmara dos Deputados, Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), disse não haver como avançar com a tramitação da reforma da Previdência nas circunstâncias atuais.

“[…] A partir das denúncias que surgiram contra o presidente da República, passamos a viver um cenário crítico, de incertezas e forte ameaça da perda das conquistas alcançadas com tanto esforço. Certamente, não há espaço para avançarmos com a reforma da Previdência no Congresso Nacional nessas circunstâncias”, disse o relator na nota.

(Com Reuters)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. o relator Artur Maia acordou, viu que “dormia com o inimigo”.
    Aos poucos “colocava” o bode na sala dos brasileiros, que ingenuo. Alias, nossos compatriotas do PPS estavam muito bem posicionado, não queriam largar o osso.

    Curtir

  2. Olho Da Bolha

    que nojo. que velho nojento. 2 meses? o Brasil nao pode esperar. esse velho acha que vai ser presidente? NAO VAI MESMO!!!!! chega de gente velha viciada nesse tipo de politica. FORA VELHOS bandidos! queremos gente nova, elegante e honesta.

    Curtir