Crise na Europa abate mercado global de casas de luxo

LONDRES, 14 Mai (Reuters) – A demanda pelas casas mais caras do mundo provavelmente deve arrefecer após dois anos de forte crescimento, à medida que as preocupações com a crise da dívida da Europa, a situação da economia global e medidas de esfriamento de preços na Ásia estão dissuadindo os compradores, mostrou uma pesquisa.

Os dados da consultoria de propriedades Knight Frank mostraram que o preço médio de casas de luxo em 23 cidades importantes do mundo caiu pela primeira vez desde 2009, em 0,4 por cento no primeiro trimestre de 2012, refletindo a desaceleração da demanda.

Isto também representa um forte declínio frente ao mesmo período de 2011, durante o qual os preços das casas de luxo globais subiram 6,6 por cento, disse a Knight Frank.

“Há um elemento de nervosismo entre os investidores quanto ao local para onde a economia está indo. Nos últimos dois a três anos você viu uma retomada um tanto grande na remarcação de preços, e a desaceleração realmente se resume à crise da zona do euro e a uma recuperação mais lenta da economia global do que foi antecipado”, afirmou o chefe de Pesquisa Residencial da Knight Frank, Liam Bailey, à Reuters.

A crise de dívida da Europa encontrou um novo obstáculo na semana passada depois que o público grego rejeitou o pacote de resgate nas urnas, enquanto os economistas estão prevendo um ano de crescimento lento para os EUA. Na Ásia, os governos da China e de Cingapura introduziram medidas para esfriar os mercados imobiliários aquecidos.

A Knight Frank disse que a queda nos preços das moradias de luxo nos primeiros três meses do ano foi liderado por Tel Aviv, onde os preços caíram 6,6 por cento, e Kiev, onde os valores recuaram 6,4 por cento.

Os preços das casas de luxo nas cidades norte-americanas de Manhattan, Nova York e Miami caíram 4,3 por cento e 1,9 por cento, respectivamente, no primeiro trimestre, revertendo uma tendência de crescimento de dois dígitos registrada no último ano.

A Knight Frank disse que, no entanto, ainda havia demanda forte dos investidores internacionais em busca de segurança para cidades como Londres e Cingapura, onde os preços subiram 2,7 por cento e 1,9 por cento, respectivamente, apesar de novos impostos sobre a propriedade introduzidos ao longo do período.

Os preços das moradias de luxo globais aumentaram nos últimos dois anos à medida que milionários estrangeiros em busca de segurança compraram casas em Nova York, Paris e Londres, enquanto um forte crescimento econômico e a classe média crescente alimentaram a demanda local para casas de luxo em cidades emergentes como Nairobi e Jacarta.

(Reportagem de Brenda Goh)