Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Crise energética faz Japão estudar volta de reatores

Terremoto obrigou o país a desligar quase todas as suas centrais atômicas; com a aproximação do verão no hemisfério norte, há risco de falta de energia

O Japão estuda reabrir os reatores nucleares da central de Oi, na província de Fukui, para não correro o risco de sofrer com falta de energia elétrica durante o próximo verão devido à crise nuclear de Fukushima.

Crise energética – “Enfrentaremos severos cortes elétricos se não houver esta reabertura em Oi”, afirmou o ministro da Indústria, Yukio Edano, para o jornal Nikkei, depois de o grave acidente nuclear de Fukushima ter deixado o país com apenas um reator ativo dos 54 com os quais o Japão contava.

Segundo Edano, a reativação das unidades 3 e 4 de Oi, os primeiros do país a terem passado por testes de resistência, é vital para garantir a provisão durante o verão, um período onde a demanda elétrica alcança o seu máximo.

Leia também: Água contaminada com radiação vaza para o mar de Fukushima

A situação das unidades de Oi foi revisada nesta sexta, em uma reunião com a participação da operadora da central, do primeiro-ministro do Japão, Yoshihiko Noda, e do ministro encarregado de política nuclear, Goshi Hosono. Após o encontro, todos concordaram na necessidade de restabelecer os reatores por considerar que são seguros e necessários para oferecer uma provisão elétrica estável na próxima estação.

Para poder retomar suas atividades, todas as unidades têm de passar por testes de resistência impostas pelo governo e obter o sinal verde das administrações locais. Por isso, o ministro Edano viaja para Fukui no sábado para tentar convencer as autoridades regionais a darem seu consentimento para a reabertura dos reatores.

(Com agência EFE)