Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

CPI do Carf convoca presidente da Engevix, envolvida na Lava Jato

Colegiado ouve depoimentos de executivos de empresas suspeitas de envolvimento em desvio bilionário no órgão da Receita

A CPI do Carf convocou nesta quinta-feira mais executivos de grandes empresas para prestar depoimento. Um deles é o presidente do Conselho de Administração da Engevix Engenharia, Cristiano Kok. A empresa é acusada de participar do esquema de corrupção descoberto na Petrobras pela Operação Lava Jato. O executivo-chefe da Huawei do Brasil, Jason Zhao, também foi convocado.

LEIA TAMBÉM:

Mudanças no Carf blindam órgão contra corrupção, diz presidente

Justiça proíbe contadora de esquema do Carf de sair do país

Em outra frente, o conselho convocou ainda o ex-secretário da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, que foi presidente do Carf. Ele se tornou um dos principais alvos da Operação Zelotes, que investiga a manipulação de processos do órgão por parte de ex-conselheiros, empresas e escritórios de advocacia. Como se trata de convocação, todos terão que comparecer. A comissão também quebrou os sigilos fiscal e bancário de cinco pessoas. Além de ex-conselheiros, a CPI quer analisar os dados de Leonardo Manzan, que é genro de Cartaxo.

LEIA MAIS:

Levy defende dedicação exclusiva de conselheiros ao Carf

União deve recuperar apenas R$ 5 bi com Operação Zelotes, diz procurador

O futuro do Carf depois da Operação Zelotes

Nesta quinta, o colegiado ouviu o depoimento do presidente da Mitsubishi no Brasil, Robert Rittscher, mas dispensou o representante da Ford, Steven Armstrong, de vir à comissão. Segundo o presidente da CPI, senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), a comissão não tem elementos que comprovem que a Ford teria se envolvido no esquema revelado pela Operção Zelotes.

Já sobre a Mitsubishi pesa a suspeita de a empresa ter conseguido reduzir a sua dívida com o fisco de 266 milhões de reais para menos de 1 milhão de reais ao final do processo. O teor do depoimento de Rittscher, porém, não satisfez os senadores. Por isso, o presidente da comissão decidiu apresentar um requerimento para pedir a quebra dos sigilos de Rittscher.

(Com Estadão Conteúdo)