Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Correção:46 instituições preveem oferta menor de crédito

Por Marcelo Portela

Belo Horizonte – A nota enviada anteriormente contém uma incorreção. Segundo a assessoria de imprensa do Banco Central, os números constantes na matéria não são porcentuais, mas sim um índice usado para fazer a média. Assim, em vez do título “Instituições financeiras preveem oferta menor de crédito” leia-se “BC: 46 instituições preveem oferta menor de crédito”. Segue o texto com o título alterado.

Levantamento do Banco Central com 46 instituições financeiras indica uma tendência de retração do crédito em praticamente todos os níveis no terceiro trimestre de 2011 em relação aos três meses anteriores. A informação é do diretor de Política Econômica do Banco Central, Carlos Hamilton Araújo, dada hoje durante a divulgação da nova edição do Boletim Regional do Banco Central, em Belo Horizonte,Minas Gerais.

Pela projeção de 22 instituições, responsáveis por 94,1% da carteira de grandes empresas, esse segmento terá a queda mais acentuada na oferta de crédito, de 0,77%. A previsão para o setor também é de recuo de 0,14% na demanda e de 0,27% na aprovação de financiamentos.

Já a expectativa para o setor de micro, pequenas e médias empresas, segundo projeção de 40 instituições (90,5% da carteira), é de aumento de 0,75% na demanda por crédito, mas a oferta também será reduzida em relação ao trimestre anterior, em 0,70%, e em 0,05% na aprovação.

Pessoas físicas

Cenário semelhante é previsto para o crédito a pessoas físicas voltado para o consumo. Apesar do crescimento previsto de 0,35% na demanda e de 0,12% na aprovação de financiamentos, a oferta de crédito deve apresentar recuo de 0,35% no quarto trimestre em relação ao período imediatamente anterior. A projeção é de 17 instituições financeiras, responsáveis por 96,6% do total da carteira.

Habitação

A exceção é o crédito habitacional. Oito instituições consultadas pelo BC, responsáveis por 99,7% do mercado, estimam crescimento de 0,13% na oferta no quarto trimestre, com aumento da demanda e da aprovação em 0,50%.