Consumo de famílias de baixa renda avançará 8% ao ano até 2012

O consumo das classes sociais D e E deve crescer num ritmo de 8% ao ano até 2012. O dobro do que deve avançar o das classes A e B, aponta um estudo realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio). O consumo da classe C vai registrar aumento de 7% ao ano, no mesmo período. Até 2013, todas as famílias brasileiras gastarão R$ 2,42 trilhões com produtos e serviços.

O estudo identifica que, mensalmente, da despesa total das famílias do país, cerca de R$ 93,19 bilhões são direcionados a consumo. Considerando todos os estratos sociais, cerca de 30% do volume dessas receitas são destinados para habitação (R$ 27,76 bilhões), enquanto mais de R$ 16 bilhões (17%) são direcionados para alimentação.

Na avaliação de Fábio Pina, economista da Fecomercio, a dinâmica de consumo da população da chamada classe média tem apresentado modificações intensas, mostrando-se cada vez mais qualificada. �Certamente, nos próximos anos, o gasto com alimentos vai representar uma parcela cada vez menor do orçamento das famílias, enquanto itens de habitação tendem a ganhar espaço. Essas mudanças serão mais evidentes entre as famílias das classes C, D e E�, destaca o economista.