Consumidores põem fogo em tênis após marca ‘apoiar’ Trump

Declaração da New Balance que dá a entender que a companhia festejou a eleição do republicano revoltou clientes - e os protestos foram parar nas redes

Consumidores americanos estão queimando seus tênis da marca New Balance depois de a empresa publicar uma declaração sobre o presidente eleito Donald Trump. Outros decidiram jogar seus calçados da empresa no lixo.

Na quarta-feira, a repórter do The Wall Street Journal Sarah Germano tuitou a seguinte citação de Matt LeBretton, vice-presidente de assuntos públicos da New Balance: “A administração Obama voltou para nós um ouvido surdo – e, sinceramente, com o presidente eleito Trump, sentimos que as coisas vão se mover para a direção correta.”

Muitos consumidores interpretaram a frase como um apoio a Trump e foram para as redes expressar sua indignação. Vídeos mostravam pessoas jogando pares de New Balance no lixo e ateando fogo em diferentes modelos.

Em seguida, LeBretton disse ao portal Buzzfeed que sua declaração era para ser seguida no contexto comercial, e em relação à Parceria Transpacífico, especificamente. Ele disse que a empresa não está interessada em “envolver-se na eleição presidencial”.

A empresa se opôs publicamente ao Parceria Transpacífico [[TPP, na sigla em inglês]] que reduziria tarifas para encorajar o comércio entre os Estados Unidos e países asiáticos. A New Balance é uma das poucas empresas de calçados dos Estados Unidos que ainda fabrica tênis – cerca de 25% na última contagem, de acordo com o WSJ – no país, embora a proporção tenha diminuído à medida que aumentou a produção na China e no Vietnã.

“Como a única grande empresa que ainda faz tênis de atletismo nos Estados Unidos, a New Balance tem uma perspectiva única sobre o comércio. Queremos fazer mais calçados nos Estados Unidos, e não menos”, disse um porta-voz da empresa em uma declaração ao Business Insider nesta quinta-feira. “A New Balance apoiou publicamente as posições comerciais de Hillary Clinton, Bernie Sanders e Donald Trump antes do dia das eleições, que se concentraram na criação de empregos na indústria americana, e continuamos a apoiá-las hoje”.

A Nike, que ainda é, de longe, a maior fabricante de roupas esportivas do mundo, faz a maior parte de seus tênis no Vietnã, de acordo com o Wall Street Journal. A empresa afirmou seu apoio à Parceria Transpacífico em uma declaração para a repórter do WSJ na quarta-feira: “A Nike tem um longo compromisso com o livre-comércio e apoia o Parceria Transpacífico porque ela nos permitiria inovar, ampliar nossos negócios e ampliar o crescimento econômico.  A administração Obama e a liderança do Congresso vão determinar o rumo apropriado da parceria”.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Fábio Luís Inaimo

    O camarada enche o saco botando defeito no texto, na revista, no estagiário, mas não perde a oportunidade de fazer seu marketing, na revistinha comunista!

    Curtir

  2. Fábio Luís Inaimo

    Boçal Mito o Trump Brasileiro !! 2018 é agora, vai lá!! vai pros States, aproveita que o dólar ainda tá só 3.50 !!

    Curtir

  3. João Gusmão

    Nunca tive um New Balance. Agora deu uma vontade… Meu próximo tênis.

    Curtir

  4. Pelo menos, os malucos de lá queimam o próprio patrimônio. Os esquerdistas brasileiros incendeiam apenas o patrimônio público. Não sabem qual é a diferença.

    Curtir

  5. Márcia Liana

    Os americanos defecam dinheiro mesmo. Quantos meninos de rua querem ter um tênis para irem à escola.

    Curtir

  6. Anderson Chantal Moreira

    É esse tênis que eu vou comprar, chega de marcas hipócritas, se apoiou Donald Trump eu compro. Se você está de saco cheio de hipócritas, defensores das coisas erradas, que querem a destruição da familia, na próxima vez que for comprar tênis, não esqueça, New Balance, a marca da verdade.

    Curtir

  7. ……..e o Trump continua eleito….kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    esquerda é fora da casinha em qualquer lugar….mimimimi

    Curtir

  8. Vicente Machado

    Seria melhor se auto-incendiarem em praça publica. Toda vez que a economia norte-americana despenca chega ao poder um republicano para arrumar a casa. Quando o negócio é ficar na conversa mole elegem os democratas que são especialistas em boquetes na Casa Branca…

    Curtir