Confiança do comércio cai 4,4% no trimestre encerrado em maio

Segundo dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV), índice atingiu 117,4 pontos, o menor nível da série histórica para o período

O Índice de Confiança do Comércio (Icom) caiu 4,4% na média do trimestre encerrado em maio ante o mesmo período do ano anterior, para 117,4 pontos, o menor nível da série histórica, segundo dados divulgados pela Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta terça-feira. No trimestre anterior encerrado em abril, a queda foi de 3,1%. No período de três meses até maio de 2013 o indicador havia ficado em 122,8 pontos. “Com o resultado, os indicadores da Sondagem do Comércio sugerem arrefecimento do nível de atividade econômica do setor no segundo trimestre”, informou a FGV.

O Índice de Situação Atual (ISA-com), um indicador que compõe o Icom, também registrou queda de 7,2%, para 90 pontos, no período de três meses até maio sobre um antes. Em abril, a variação havia sido negativa em 7% na mesma comparação. Na média de março a maio, 13,8% das empresas consultadas avaliaram o nível atual de demanda como forte (contra 16,3% em igual período do ano anterior) e 23,8% como fraca (contra 19,3% na mesma base).

Já Índice de Expectativas (IE-com) recuou 2,6%, para 144,7 pontos, na mesma base de comparação. No trimestre até abril deste ano, a queda era de 0,4%, na mesma base.

A coleta de dados para a edição de abril da sondagem foi realizada entre os dias 02 e 24 deste mês e obteve informações de 1.161 empresas.

Leia também:

Mercado aposta na manutenção da Selic em 11% nesta semana

Prévia da inflação desacelera em maio para 0,58%

Em prévia do PIB, atividade econômica recua 0,11% em março

De acordo com dados do Banco Central, a confiança dos agentes econômicos e de consumidores tem mostrado dificuldades para se recuperar diante do enfraquecimento da economia ao longo dos três primeiros meses do ano. As atenções voltam-se agora para a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na sexta-feira.

(com agência Reuters)