Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ciberataque: especialistas descobrem como desbloquear arquivos

Pesquisadores divulgam método para reverter "sequestro" de arquivos causado pelo ransomware WannaCry, que infectou centenas de milhares de computadores

Especialistas franceses disseram nesta sexta-feira que descobriram uma alternativa para que técnicos salvem arquivos do Windows codificados pelo vírus WannaCry, correndo contra o tempo na medida que o ransomware ameaça começar a bloquear os computadores das vítimas infectadas há uma semana.

O WannaCry começou a se espalhar pelo mundo na última sexta-feira e infectou mais de 300.000 computadores em 150 países. O vírus se aproveitou de uma falha no Windows para se disseminar e codifica os arquivos das máquinas, “sequestrando” as informações. O ransomware ameaça bloquear permanentemente os arquivos de vítimas que não pagarem a soma de 300 a 600 dólares (982 a 1.965 reais)  dentro de uma semana da invasão.

Uma equipe de pesquisadores de segurança espalhados pelo mundo disse que colaborou para desenvolver uma alternativa para desbloquear a chave de criptografia usada em arquivos atingidos pelo ataque global, que diversos pesquisadores de segurança independentes confirmaram.

Os pesquisadores advertiram que a solução só funcionará em algumas condições, especificamente se os computadores não foram reiniciados desde que foram invadidos e se as vítimas aplicaram o reparo antes do WannaCry cumprir a ameaça de bloquear seus arquivos permanentemente.

O grupo inclui Adrien Guinet, que trabalha como um especialista de segurança, Matthieu Suiche, um hacker conhecido internacionalmente, e Benjamin Delpy, que ajudou os trabalhos em seu tempo livre fora do Banque de France.

Suiche publicou em um blog (https://goo.gl/iIFDZs) detalhes técnicos resumindo o que o grupo desenvolveu. Ele vinculou os detalhes a uma ferramenta chamada de Wannakey desenvolvida por Guinet, o criador do conceito original.

(Com Reuters)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Empresas criam vírus para vender vacinas, tanto na vida virtual quanto na vida real

    Curtir