Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Chevron é autuada novamente pela ANP por vazamento

RIO DE JANEIRO (Reuters) – A petroleira norte-americana Chevron foi autuada pela terceira vez pelo órgão regulador brasileiro em decorrência do vazamento do campo de Frade, na Bacia de Campos (RJ), ocorrido em novembro.

Segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), a Chevron foi autuada dessa vez por não ter adotado medidas para a conservação dos reservatórios do poço 9-FR-50DP-RJS no campo de Frade.

“Técnicos da ANP identificaram não cumprimento das premissas do Plano de Desenvolvimento do campo de Frade, aprovado pela Agência, durante a perfuração do poço, dando origem à exsudação de hidrocarbonetos para o assoalho marinho”, afirmou a agência em nota.

Antes de perfurar poços, as petroleiras são obrigadas a apresentar planos à agência, com detalhes técnicos sobre operações a serem realizadas, como estudos geológicos e de perfurações de poços.

Em nota no início da noite, a Chevron informou que irá analisar as alegações citadas na notificação da ANP e que responderá as questões apontadas dentro do prazo.

“Todavia, a empresa está confiante que sempre agiu de maneira diligente e apropriada, de acordo com as melhores práticas da indústria do petróleo e no âmbito do Plano de Desenvolvimento aprovado pela ANP”, disse a companhia.

Em entrevista à Reuters na semana passada, a diretora da ANP, Magda Chambriard, disse que o projeto do poço perfurado teria funcionado perfeitamente não fosse uma falha que não havia sido comunicada à reguladora.

A Chevron já havia sido autuada por não ter cumprido o plano de abandono do poço por onde vazou petróleo e também por ter omitido informações ao órgão regulador, “ao entregar imagens editadas das filmagens feitas por veículo remoto nos pontos de vazamento”.

O valor da nova multa não foi informado pela ANP nesta sexta-feira. Anteriormente, a agência havia decidido aplicar contra a companhia multas no valor de até 50 milhões de reais cada uma.

A empresa também foi notificada anteriormente pela agência por não ter declarado a ocorrência de enxofre em um campo de produção.

Além das multas da ANP, a Chevron enfrenta ainda multas do Ibama, ação civil pública do estado do Rio de Janeiro, e inquérito apresentado pela Polícia Federal por causa do acidente no campo de Frade.

(Por Sabrina Lorenzi, com reportagem adicional de Leonardo Goy, em Brasília; e de Roberto Samora, em São Paulo)