Canadá proíbe retirada de passageiros à força por overbooking

O ministro dos Transportes, Marc Garneau, disse lamentar o tratamento dado por companhias que arrastam passageiros à força

Em um novo direito conferido aos passageiros, o Canadá não permitirá a remoção de passageiros de avião por motivo de overbooking – quando a companhia aérea vende mais bilhetes que a capacidade da aeronave.

O ministro dos Transportes, Marc Garneau, afirmou que é lamentável o tratamento dado aos passageiros de companhias aéreas reportado recentemente pela imprensa. Segundo ele, isso não será tolerado em nenhum voo que parta do Canadá ou que tenha o país como destino.

A autoridade acrescentou que a nova medida garantirá que os passageiros sejam tratados como seres humanos, não como números.

O anúncio ocorre um mês após um passageiro da United Airlines ter sido retirado à força de um avião em Chicago porque ele não quis ceder seu assento para a tripulação da companhia aérea. A empresa havia ordenado que o homem e outras três pessoas que tinham passagem se retirassem porque havia vendido lugares a mais.

Garneau disse que, se as companhias aéreas não conseguirem que um passageiro desça voluntariamente oferecendo-lhe uma compensação mínima, terão que aumentar o incentivo para isso.

(Com Estadão Conteúdo)