Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Burger King prevê 180 novas lojas em 3 anos no Brasil

3G capital quer expandir a rede também para a América Latina

A ascensão da classe C e a recuperação da economia após a crise fizeram o grupo traçar planos mais ambiciosos para a região

Perto de completar seis anos no Brasil, a rede americana de fast-food Burger King contabiliza 93 restaurantes – uma presença pálida frente a redes nacionais e estrangeiras como McDonald’s, Bob’s, Giraffas e Habib’s. Mas a ascensão da classe C e a recuperação da economia após a crise fizeram o grupo traçar planos mais ambiciosos para o País, com a abertura de 180 novas unidades em três anos. “Vamos abrir o dobro de lojas na metade do tempo”, diz o diretor sênior do Burger King no Brasil, Iuri Miranda.

A aproximação entre o Burger King e o Brasil não para por aí: em setembro, o fundo 3G Capital, criado pelos investidores brasileiros Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira – os principais acionistas da AB Inbev, maior fabricante de cervejas do mundo -, assinou acordo de 4 bilhões de dólares para comprar a operação global da rede, que sofreu duros golpes na crise e enfrenta o acirramento da concorrência com outras cadeias internacionais, como o McDonald’s. Miranda diz que o negócio ainda não influencia os planos para o País, pois não está 100% fechado: “Temos até 14 de outubro para dar resposta (definitiva)”. O mercado, porém, vê o negócio como certo.

Sabe-se que o 3G tem interesse em expandir a rede Burger King na América Latina, inclusive promovendo o “casamento” entre a oferta dos restaurantes e as bebidas da Inbev (no Brasil, Ambev). “É uma rede de forte irradiação para os produtos da Ambev e também com potencial de associação de marca”, diz o diretor executivo da Associação Brasileira de Franchising (ABF), Ricardo Camargo. A diferença com o novo sócio, segundo Camargo, será a possibilidade de investimento da própria rede no projeto de expansão: “Desde o início da operação, o Burger King vem crescendo baseado nos aportes dos parceiros locais”.

(Com Agência Estado)