“Brasil está mudando para melhor”, diz Meirelles

Em Nova York, ministro da Fazenda comemorou a aprovação em primeiro turno na Câmara da PEC que limita o gasto público

O ministro da Fazenda, Henrique Meireles, avalia que a aprovação final no Congresso da proposta de emenda constitucional (PEC) que estabelece um teto para o gasto público terá impacto positivo para o rating soberano brasileiro. Segundo Meirelles, que falou a jornalistas em Nova York após reunião com investidores na sede do Bank of America, o Brasil “dá demonstrações sólidas de que está mudando para melhor”.

Leia mais:
Câmara aprova PEC do Gasto Público

Temer: aprovação da PEC foi ‘vitória maiúscula’

O impacto sobre a nota de crédito do país – uma medida da confiança dos investidores estrangeiros na economia brasileira – não deve ser imediato, ressalvou o ministro. “Não há dúvida que haverá impacto. Não é um impacto imediato. As agências de rating têm um processo normal de aguardar os desdobramentos”, afirmou. Para ele, a aprovação da PEC é um passo fundamental para a melhora da avaliação de risco brasileira. “O item mais importante do rebaixamento do Brasil foi exatamente a questão fiscal, a trajetória das despesas públicas.”

Meirelles disse que as indicações de seus contatos nas agências de classificação de risco em Nova York têm sido “extremamente positivas”. “No devido tempo, com os efeitos da PEC começando a se concretizar, certamente devemos ver melhora de rating.” O ministro disse que na atual viagem aos Estados Unidos, que começou na semana passada em Washington e prossegue nesta semana em Nova York, tem tido conversas com representantes das agências de classificação de risco em eventos, embora não tenha feito uma visita específica a nenhuma delas.

O ministro também se mostrou animado sobre a aprovação em primeiro turno da PEC dos gastos na noite de segunda-feira. “O resultado é muito importante, na medida em que mostra a disposição do Congresso de enfrentar os problemas básicos que fazem com que a economia esteja em recessão”, afirmou Meirelles. A votação da proposta em segundo turno na Câmara será no dia 24 de outubro. Depois, ela segue para o Senado, onde também passará por votação em dois turnos.

A expectativa de aprovação da PEC já vinha provocando aumento da confiança de investidores e consumidores, mas é importante que o texto passe no Congresso para garantir que a economia volte a se recuperar. O ministro disse que os protestos contra a PEC, que apelidaram a medida de “PEC da maldade”, fazem parte da democracia e são saudáveis. “É a PEC do equilíbrio fiscal, do crescimento e do emprego”, rebateu ele.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Claro que vai comemorar, afinal de contas está realizando o sonho de todos os empresários e donos do poder desta terra. Pena que somente daqui a alguns anos teremos as denúncias contra ele, assim como acontece com Mantega, Palocci e outros.

    Curtir

  2. adson miranda de almeida

    o Brasil está melhorando. graças a Deus, a herança maldita deixada pelo Pt está ficando para tráz. em pouco tempo vamos virar esta página maldita.

    Curtir

  3. Democrata Cristão

    Tomara que sim! Chutamos a Dilma Pedaleira Maluca justamente por isso, o consequente desemprego.

    Curtir

  4. Leonardo Freitas

    É isso ai, mudanças. Não podemos imaginar um Brasil diferente sem mudanças.

    Curtir

  5. Fábio Luís Inaimo

    Eu também não confio muito nesse cara que foi do governo Lulopetralha, mas se a economia não melhorar, vou ter que fechar as portas , então torço por ele, ou melhor pelo que fizer de certo!

    Curtir