Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bolsas de NY recuam com dado fraco do PIB no 3º tri

Por Gustavo Nicoletta

Nova York – Os principais índices do mercado de ações dos EUA fecharam em queda, após dados mostrarem que a economia do país cresceu menos do que o inicialmente previsto no terceiro trimestre e diante dos juros altos que a Espanha teve de oferecer aos investidores num leilão de títulos da sua dívida.

Mais cedo, o país europeu vendeu � 3 bilhões em títulos com vencimento em três e seis meses. Os papéis tiveram de carregar juro levemente superior a 5%. No leilão anterior, os bônus de três meses ofereceram juros de 2,292%, enquanto os de seis meses tinham taxa de 3,302%.

A ata do Federal Reserve, divulgada algumas horas antes do encerramento do pregão, não teve grande impacto sobre o mercado. Analistas, no entanto, acharam digno de nota um trecho do documento segundo o qual “alguns membros (do Fed) acreditam que o horizonte econômico pode justificar acomodação adicional” na política monetária. “A questão principal em relação ao Fed no momento é quando eles vão embarcar numa terceira rodada de afrouxamento, já que os membros aparentemente querem isso”, disse Peter Boockvar, da Miller Tabak.

As bolsas fecharam com uma certa distância das mínimas da sessão, recebendo suporte da notícia de que o Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou duas novas ferramentas para tentar conter os problemas de financiamento da zona do euro, sendo uma delas uma linha de crédito que permite aos países membros do fundo tomarem um empréstimo equivalente a até 10 vezes o volume de sua contribuição.

O Dow Jones caiu 53,59 pontos, ou 0,46%, para 11.493,72 pontos, puxado pelo declínio de componentes como Alcoa (-2,22%) e Bank of America (-2,19%). O Nasdaq recuou 1,86 ponto, ou 0,07%, para 2.521,28 pontos, e registrou sua quinta queda consecutiva, sequência mais longa desde julho de 2010. O S&P 500 teve declínio de 4,94 pontos, ou 0,41%, para 1.188,04 pontos.

Entre os destaques da sessão, as ações da Hewlett-Packard fecharam em baixa de 0,78%. A companhia divulgou ontem, após o fechamento das bolsas norte-americanas, uma previsão menor do que a esperada pelo mercado para os resultados do ano que vem. Já os papéis do Netflix fecharam em baixa de 5,40% depois de a empresa divulgar que terá prejuízo em 2012.

As ações da Chevron subiram 0,79% depois de analistas da Oppenheimer afirmarem que o balanço da companhia não será afetado nem mesmo se a empresa receber a multa máxima por causa do vazamento de petróleo no Brasil, visto que a Chevron possui mais de US$ 10 bilhões em caixa.

Mais cedo, o Departamento de Comércio dos EUA anunciou que o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu à taxa anualizada de 2,0% no terceiro trimestre na comparação com o trimestre anterior, em dado revisado. A leitura foi inferior à preliminar, de expansão de 2,5%, e também ficou abaixo da estimativa dos analistas ouvidos pela Dow Jones, de 2,3%.

“Há apenas alguns dias, tínhamos economistas falando sobre um crescimento de 3% a 3,5% no PIB”, disse Michael Shea, sócio-gerente da Direct Access Partners. “Essa foi uma surpresa negativa.”

O volume de negócios foi baixo e deve permanecer assim nesta semana, já que os mercados estarão fechados na quinta-feira e fecharão mais cedo na sexta-feira por causa do feriado do Dia de Ação de Graças.

“O ambiente de poucos negócios deve continuar nos próximos dias”, disse Phil Orlando, estrategista de ações da Federated Investors. “Não importa se recebermos bons indicadores ou rumores ruins, o volume escasso significa que os movimentos serão potencialmente exagerados tanto para cima quanto para baixo.”

No mercado de Treasuries, os preços subiram, com respectivo movimento inverso dos juros, refletindo a busca dos investidores por ativos considerados seguros. Esse movimento foi refletido também num leilão de US$ 35 bilhões em títulos de cinco anos. Os papéis vendidos carregaram um juro de 0,937% – o menor já registrado numa operação do tipo.

No final da tarde em Nova York, o juro projetado pelos T-bonds de 30 anos estava em 2,895%, de 2,957% na segunda-feira; o juro das T-notes de 10 anos estava em 1,930%, de 1,974%; o juro das T-notes de 2 anos estava em 0,253%, de 0,266%. As informações são da Dow Jones. (