Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bolsas de NY recuam à espera de decisão da Eslováquia

Por Luciana Antonello Xavier, correspondente

Nova York – As bolsas de Nova York abriram em queda, à espera do voto da Eslováquia sobre as mudanças na Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês) e da divulgação da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano). Além disso, hoje a Alcoa dá a largada na temporada de balanços do terceiro trimestre. Às 10h45 (horário de Brasília), o índice Dow Jones caía 0,53%, o Nasdaq perdia 0,29%, e o S&P 500 tinha queda de 0,55%.

Os temores em relação à Europa seguem crescendo e por isso é importante que a Eslováquia vote a favor das mudanças no fundo de resgate europeu, já que é o último de 17 países que ainda precisa fazê-lo. Entre as mudanças no fundo está a ampliação da atual capacidade de empréstimos da EFSF de 250 bilhões de euros para 440 bilhões de euros.

Sobre o socorro à Grécia, os inspetores internacionais informaram hoje que concluíram a quinta revisão do plano de resgate ao país e que a próxima parcela do pacote, de 8 bilhões de euros, só será liberada após o grupo de ministros de Finanças da zona do euro (Eurogrupo) e a diretoria do Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovarem o relatório da comissão de inspetores, o que deve ocorrer no começo de novembro.

A agenda dos EUA hoje está repleta, ainda que não tenha divulgação de nenhum indicador. Esta noite, o Senado americano vota o plano de US$ 450 bilhões para criação de empregos do presidente Barack Obama e deve se deparar com a oposição dos republicanos e, nesse caso, uma opção seria desmembrar o pacote para que as propostas sejam votadas separadamente.

Ainda sobre empregos, o Conselho para Empregos e Competitividade do governo irá apresentar ao presidente relatório com recomendações para criação de “milhões de empregos” nos próximos anos.

No campo corporativo, A Alcoa divulga seus resultados após o fechamento das bolsas. A expectativa é de que o lucro no terceiro trimestre tenha crescido de US$ 0,06 no mesmo período do ano passado para US$ 0,23 por ação.