Bolsa de Tóquio cai 1,1% após renúncia de primeiro-ministro

A Bolsa de Tóquio fechou em queda, com a realização de lucros que se seguiu à forte alta observada na sessão da manhã ante a notícia da renúncia do primeiro-ministro Yukio Hatoyama. O índice Nikkei 225 terminou em baixa de ou 1,1%.

Os investidores locais especulavam que o próximo governo pode adotar uma posição mais favorável às empresas, uma vez que, sob a liderança de Hatoyama, o Partido Democrático do Japão (PDJ) patrocinou propostas impopulares, como os acentuados cortes nas emissões de gases causadores do efeito estufa e as limitações à contratação de trabalhadores temporários.

O Nikkei estava em alta no meio do dia (no Japão), mas as vendas voltaram a dominar o pregão à tarde. “A renúncia de Hatoyama deflagrou compras de curto prazo, mas não criou uma tendência compradora”, disse o presidente da Investrust, Hiroyuki Fukunaga.

Ele advertiu que persistem as preocupações com a desvalorização do euro. Nos próximos dias, segundo Fukunaga, os investidores deverão se orientar pelos dados do mercado de trabalho dos EUA e por outros indicadores. A sustentação do Nikkei deve se situar nos 9.500 pontos ao longo da próxima semana, segundo a estimativa de Fukunaga.

O iene chegou a se desvalorizar depois que Hatoyama anunciou sua renúncia, diante do temor de que um aumento da turbulência política viesse a pesar em sua decisão. Mas os investidores logo voltaram a comprar a moeda.

Outros mercados asiáticos – Mas foram as preocupações com a crise na zona do euro que dominaram o humor da maioria dos mercados da região nesta quarta-feira. Uma das exceções foi a China, que reagiu à presença de investidores em busca de ofertas de ocasião. A Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, ficou fechada por causa de eleições locais.

Na Bolsa de Hong Kong, os investidores andaram de lado e o índice Hang Seng caiu 0,1%. As outras bolsas chinesas apresentaram alta, impulsionadas por ganhos nos setores imobiliário e automotivo. O índice Xangai composto subiu 0,1%, ao passo que o índice Shenzhen composto ganhou 1,5%.

Já a Bolsa de Taipé, em Taiwan, teve nova queda no embalo dos demais mercados da região. O índice Taiwan Weighted cedeu 1,3%. Na Austrália, a Bolsa de Sydney fechou em queda pelo terceiro dia seguido. O mau desempenho dos mercados externos pesou mais do que a divulgação de um crescimento do PIB maior do que o esperado. O índice S&P/ASX 200 baixou 0,7% e fechou aos 4.381,0 pontos.

O yuan fechou estável ante o dólar, após permanecer o dia em baixa, depois que, à tarde, a taxa de paridade central dólar-yuan teve pouca variação. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,8299 yuans, de 6,8302 yuans do fechamento de terça-feira. A taxa de paridade central foi fixada em 6,8281 yuans, com leve alteração diante de ontem, aos 6,8279 yuans.

(com Agência Estado)