Bernanke: Fed agirá, se economia dos EUA piorar muito

Por Gustavo Nicoletta

Cleveland, EUA – O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, disse estar disposto a adotar mais políticas heterodoxas caso a economia dos EUA fique muito fraca e afirmou que as expectativas de inflação no longo prazo estão perto de 2%, nível que agrada ao banco central norte-americano.

Bernanke, no entanto, ressaltou que o Fed está acompanhando atentamente as tendências de preço. “Se a inflação ou as expectativas de inflação ficarem muito baixas, nós teríamos de responder a isso”, acrescentou. Ele disse também que o desemprego elevado é “uma crise nacional” que requer atenção da Casa Branca e do Congresso.

“Temos uma taxa de desemprego próxima a 10% há alguns anos e, das pessoas que estão sem trabalho, cerca de 45% encontram-se nesta situação há seis meses ou mais”, afirmou Bernanke ao responder uma pergunta da plateia de um evento em Cleveland, logo após discursar.

O presidente do Fed mostrou forte determinação em agir. Embora os esforços do banco central para combater a crise financeira de 2008 tenham recebido elogios, as medidas mais recentes adotadas pela instituição atraíram críticas de vários setores. Membros do Partido Republicano, atualmente a oposição nos EUA, acreditam que a inflação futura é um problema real e são contrários às políticas de afrouxamento monetário adotadas pelo Fed até agora.

Em sua reunião mais recente, o comitê de política monetária do banco central norte-americano decidiu que vai vender US$ 400 bilhões em Treasuries de curto prazo e comprar o mesmo volume de títulos de maior duração, em uma tentativa de reduzir as taxas de juros no longo prazo e, dessa forma, estimular a economia norte-americana.

Bernanke disse que o Fed já fez “enormes esforços” para ajudar a economia, mas ressaltou que as políticas monetárias não são uma panaceia. Ao ser questionado sobre o que os congressistas podem fazer nesse sentido, disse que o setor imobiliário poderia ser melhor abordado pelo atual governo.

O presidente do Fed disse que a privatização das agências hipotecárias Fannie Mae e Freddie Mac (FMCC) é “um objetivo que muitos apoiam”, mas acrescentou que esse é um processo que levará tempo justamente por causa da fragilidade do setor de habitação. As informações são da Dow Jones.