BC reduz juro mais que o previsto – e ainda assim a Fiesp reclama

Entidade que representa as indústrias de São Paulo geralmente distribui comunicados criticando as decisões tomadas pela autoridade monetária

O Banco Central (BC) anunciou nesta quarta-feira a redução da taxa Selic para 13% ao ano. O corte, de 0,75 ponto porcentual, foi maior que o esperado pela maioria dos analistas, o que não impediu a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) de fazer ressalvas sobre a decisão.

Após cada reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC, a Fiesp sempre distribui comunicados criticando a decisão tomada – e geralmente com o argumento de que o Banco Central foi tímido, pouco ousado e afins. Dessa vez, com o corte maior que o previsto, a queixa foi outra. “Além de reduzir a Selic, é preciso aumentar o crédito da economia para que as empresas invistam e as famílias consumam”, disse em nota o presidente da entidade, Paulo Skaf.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Democrata Cristão

    Aumentar o crédito para que as famílias consumam…uma pinóia! O PT já fez isso, não dá certo! Para que crédito se voce está desempregado ou endividado! Quem está empregado não usará o crédito porque não sabe se estará empregado! Tem que fazer a Reforma Tributária, tem que baixar os impostos, baixando o preço dos produtos e serviços a população consome, a consequencia é reativação da economia, é emprego na mão.

    Curtir

  2. Ninguém percebeu que a queda no consumo se deu porque as operadoras de cartão tomaram, do comércio, os clientes para si? Consignados e cartões estão quebrando o comércio, só os bancos sobreviverão? Nem mesmo eles!

    Curtir

  3. Gustavo Henrique

    eles ainda tem 7,5 da tjlp do bndes e ainda reclamam, num entenderam que acabou a boquinha

    Curtir

  4. Helio Carneiro

    E isso está errado por acaso? Mas n tem jeito… Lendo a notícia dizer de forma tendenciosa que a fiesp inda reclama como se 13% fosse pouco. Veja já foi melhor!

    Curtir

  5. Tio Do lanche

    Para uma economia que estava abaixo dos 10, 13 é muito ruim, além que 13 é um número do azar kkk Aoooooooooooo PT

    Curtir