Base aliada prevê atraso na votação de reforma da Previdência

O plano inicial do governo era votar nesta semana o parecer da reforma da Previdência na comissão especial que analisa o tema na Câmara

O governo quer votar nesta semana o parecer da reforma da Previdência na comissão especial que analisa o tema na Câmara dos Deputados. Mas líderes de partidos da base aliada dizem que a previsão “mais realista” é concluir a votação na comissão somente na semana que vem.

A base aliada defende que a reforma só seja colocada em votação na comissão quando o governo tiver os 308 votos necessários para aprovar o texto no plenário. O atraso na votação da comissão evitaria o desgaste de aprovar a reforma na comissão, mas ter que esperar para votá-la no plenário.

A votação das reformas trabalhista e da Previdência foi tema de encontro na noite desta segunda entre o presidente Michel Temer e líderes da base aliada no Palácio do Alvorada. Para o texto ser aprovado na comissão, é necessário ter metade dos votos presentes, desde que haja quórum mínimo de 19 parlamentares.

Parlamentares da base dizem que precisam de mais tempo para negociar o texto. O argumento é que o relatório de Arthur Oliveira Maia (PPS-BA) tem de ser o mais amarrado possível, para evitar que deputados da base apresentem emendas ou votem a favor de emendas da oposição no plenário, desconfigurando os eixos da reforma

A intenção inicial do governo era concluir a votação da proposta no colegiado ainda nesta semana. A estratégia era encerrar a discussão na comissão especial nesta terça e votar o texto até quinta. Agora, a base já analisa adiar a votação na comissão.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), definiu que não realizará votações no plenário da Casa na quarta-feira. Pelo regimento da Câmara, se o presidente da Casa abre a ordem do dia no plenário, a votação na comissão é suspensa.

Além de Maia e de Temer, participaram da reunião no Alvorada os ministros da Henrique Meirelles (Fazenda), Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência), Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Mendonça Filho (Educação). Os líderes do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), e no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), também estiveram presentes no encontro, assim como o deputado Heráclito Fortes (PSB-PI).

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Claudio Stainer

    Enquanto bagunçam terminem as reformas, privatizem, acabem com os tributos obrigatórios dos tralhadores e patronais previstos na CLT. O que move todos contra as reformas é a gana^ncia por estes impostos que não têm eira nem beira, controle ou aplicação devida. Aos Congressistas: um País só garante a Democracia com o Congresso funcionando plenamente. Desvios são questões da Polícia e da Justiça. As leis não tem penas pesadas. Toquem o Congresso e ponto.

    Curtir

  2. A reforma é inconstitucional como está. Trata de forma diferente iguais em um mesmo cargo, punindo quem tem mais tempo de serviço fora do serviço público. Uma A.D.I. no Supremo derruba a reforma.

    Curtir

  3. Democrata Cristão (Liberdade de Expressão é meu direito CF 88 art 5 e art 220)

    Juízes, Promotores e outros servidores públicos de salários astronômicos​ e integrais entrarão na mesma previdência dos meros mortais? Então não é reforma!

    Curtir

  4. Democrata Cristão (Liberdade de Expressão é meu direito CF 88 art 5 e art 220)

    “… salários astronômicos e aposentadorias​ integrais…”

    Curtir

  5. Tadeu Passarelli

    ..Não aguento mais ver a cara desse vagabundo nesta pagina. Dá pra parar com isso? quem foi que votou nessa coisa? AH, as urnas eletrônicas fraudadas, ah….

    Curtir

  6. Canalhas!!!!! Não podemos aceitar retrocessos de nossos direitos. NÃO À REFORMA DA PREVIDÊNCIA!!!!!!!

    Curtir

  7. Democrata Cristão (Liberdade de Expressão é meu direito CF 88 art 5 e art 220)

    Como fazer um ajuste fiscal e uma Reforma da Previdência honesta com isso: Salários de juízes no Brasil superam os dos Estados Unidos e da Inglaterra (Estadão)

    Curtir

  8. Ataíde Jorge de Oliveira

    DIR$EU_PReZZo; LuLLa_ÇoLLpT@
    ººº PEn$ãO HöNöRÏ$ CAU$AM ººº

    Curtir

  9. Essa reforma não pode passar nunca. Se passar, todas as pessoas que irão se aposentar perderão em torno de 30% no valor da aposentadoria. Falo com certeza pois estou para aposentar e pela simulação que fiz no site da previdência o desconto será por volta de 30% . Todos, sem exceção sairão perdendo. Não podemos nunca deixar essa reforma passar.

    Curtir

  10. Como é difícil fazer com que o congresso faça aquilo que o país precisa, para voltar a ter confiança e crescer. Esses “lesa-pátria” só trabalham mesmo para defender interesses corporativistas.

    Curtir