Bancos têm R$ 1,2 bi do PIS à espera do saque dos trabalhadores

Quem não sacar até o dia 30 perde direito ao benefício. O dinheiro não sacado não é devolvido depois, ele é incorporado ao FAT

Os trabalhadores têm até o dia 30 deste mês para sacar o abono do PIS. O valor varia de 78 reais a 937 reais, dependendo do tempo em que a pessoa trabalhou em 2015.

Quem não sacar até o dia 30 perde direito ao benefício. O dinheiro não-sacado não é devolvido depois, ele é incorporado ao FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador).

Segundo o Ministério do Trabalho, 1,83 milhão de pessoas ainda não receberam o abono do PIS. Essas pessoas têm direito a receber 1,28 bilhão de reais.

“O abono salarial é um direito que o trabalhador tem. Esse dinheiro é do trabalhador, portanto Quem tem direito não perca o prazo”, diz o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

Quem tem direito

Para ter direito ao benefício é preciso:
– Estar cadastrado no PIS/PASEP há pelo menos cinco anos;
– Ter recebido remuneração mensal média de até dois salários mínimos durante 2015;
– Ter exercido atividade remunerada durante pelo menos 30 dias em 2015;
– Ter seus dados informados pelo empregador corretamente na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).

O pagamento é proporcional ao período trabalhado. Quem trabalhou o ano todo recebe 927 reais. Quem trabalhou um mês, recebe o equivalente a 1/12 de 937 reais, ou seja, 78 reais.

Para saber se tem direito, consulte o site do Ministério do Trabalho (http://trabalho.gov.br/abono-salarial/consulta-abono-salarial)

Como receber

O abono do PIS pode ser recebido nas agências da Caixa Econômica Federal e casas lotéricas por trabalhadores do setor privado. Para isso, é preciso ter o Cartão do Cidadão e a senha dele.

Quem não tiver cartão deve ir até uma agência da Caixa com documentos de identificação.

No caso do Pasep, o pagamento é efetuado pelo Banco do Brasil. Correntistas dos dois bancos recebem o benefício diretamente em conta.