Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bancos de montadoras batem recorde de empréstimos

Tendência de expansão mais modesta apontada pelos grandes bancos não se verifica nestas instituições financeiras

Os bancos de montadoras registram forte crescimento nos empréstimos neste ano. O Banco Mercedes-Benz registrou recorde de financiamento em julho, com 360,1 milhões de reais em novos negócios, e crescimento de 33%. O Banco Volkswagen também bateu recordes no crédito, principalmente no financiamento para a compra de caminhões e ônibus com repasses de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), modalidade conhecida como Finame. Nos sete primeiros meses do ano, foram liberados 2,159 bilhões de reais.

Os bancos atribuem o crescimento dos empréstimos à forte expansão da indústria automobilística nacional. O setor está batendo recorde de vendas mesmo com o fim do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzido desde abril. Em julho, os emplacamentos de veículos novos no mercado brasileiro somaram 302,4 mil unidades, com elevação de 6% ante igual intervalo de 2009 e de 15% ante junho, segundo dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Nos sete primeiros meses de 2010, foram vendidas 1,882 milhão de unidades, alta de 8,5% ante o mesmo período do ano passado.

No Banco Mercedes-Benz, o crédito direto ao consumidor (CDC) foi o produto com maior crescimento em julho, com alta de 146%. No mês passado, foram financiados 27,1 milhões de reais por meio desta modalidade. Já o Finame teve alta de 67%, com financiamento de 330,1 milhões de reais. A exceção é o leasing, com queda de 96% nos volumes, para apenas 2,8 milhões de reais.

“A procura pelo leasing vem caindo em razão das taxas atrativas oferecidas pelo Finame e das condições especiais do CDC”, comenta o diretor comercial do banco, Angel Martínez. Com esse resultado, o Finame respondeu por 91,5% dos financiamentos do Banco Mercedes-Benz; o CDC, por 7,5%; e o leasing, 1% – há um ano, esta modalidade respondia por 15%.

A carteira total do Mercedes chegou a 6,5 bilhões de reais em julho, com acréscimo de 23%. Nos sete primeiros meses do ano, financiou 2 bilhões de reais. O banco financia a compra de veículos comerciais (caminhões, ônibus e Sprinter) e de automóveis de passeio da marca Mercedes-Benz.

Já o Banco Volkswagen é focado em repasses do BNDES e foi o banco de montadora com maior volume de operações de Finame no período. A operação respondeu por 90% dos volumes financiados de caminhões e ônibus pelo banco. Foram 18.122 operações de financiamento de janeiro a julho.

Nos grandes bancos, a carteira de financiamento de veículos tem tido expansão mais modesta. O presidente do Itaú Unibanco, Roberto Setubal, disse na semana passada que espera redução das taxas de crescimento do financiamento de veículos. “É um mercado mais maduro e com boa parte da demanda já suprida”, disse ele. No segundo trimestre, a expansão da carteira foi de apenas 1,8% ante os três primeiros meses do ano. No Bradesco, a expansão foi de 3,7%.

O Banco do Brasil foi a exceção. Por conta da compra de 49,99% do Banco Votorantim, focado no financiamento de veículos, a carteira do BB cresceu mais que seus concorrentes privados no segundo trimestre, com aumento de 8,3% na comparação com o primeiro trimestre do ano e 178% em 12 meses.

(com Agência Estado)