Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aneel avalia antecipar regime de bandeiras tarifárias

Regime prevê que consumidores paguem mais quando a bandeira estiver vermelha ou amarela e está programado para entrar em vigor no ano que vem

Para tentar compensar o desequilíbrio entre o custo da energia mais cara das térmicas para as distribuidoras e as tarifas pagas pelos consumidores, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) fará uma reunião nesta quinta-feira com representantes do setor de distribuição com o objetivo de estudar alternativas para recompor o equilíbrio financeiro dessas empresas. Segundo o diretor da Aneel, Romeu Rufino, uma delas pode ser a antecipação da entrada em vigor do regime de bandeiras tarifárias.

Esse regime, que está previsto para funcionar no ano que vem, estabelece que o consumidor pague mais sempre que a bandeira estiver vermelha ou amarela e ele ultrapassar certos limites de consumo. “É uma medida para que o consumidor consiga gerenciar seu gasto em momentos de custo de energia mais elevado”, completou o diretor. A ideia é antecipar a vigência desse instrumento para este ano.

Leia mais:

Preço menor da energia não chega à indústria de base

Desconto prometido por Dilma na conta de luz não é real

Apesar de as distribuidoras terem despesas maiores devido à contratação de energia das térmicas durante o período de seca, esse valor só é repassado hoje para as faturas dos consumidores no ano seguinte, nos reajustes anuais de cada empresa. Por esse motivo, diversas distribuidoras vêm alegando dificuldades econômicas.

Romeu Rufino acredita que a antecipação das bandeiras tarifárias possa ser de grande ajuda para o setor. “Por si só não resolve, mas é algo que podemos fazer porque já existe o regulamento”, afirmou o diretor. Desde janeiro deste ano, os consumidores já recebem em suas contas de luz uma sinalização do custo atual de geração de energia, considerando o uso das térmicas, em bandeiras nas cores amarelo, vermelho e verde.

(com Estadão Conteúdo)