Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aneel aprova ampliação e antecipação da usina de Jirau

A capacidade instalada da hidrelétrica será de 3.750 MW

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira a antecipação em 30 dias para a entrada da operação comercial das primeiras unidades da hidrelétrica de Jirau, em Rondônia, para 1º de janeiro de 2013.

O órgão regulador aprovou ainda a ampliação da capacidade instalada de Jirau, para 3.750 megawatts (MW), com a instalação de seis unidades adicionais. A outorga original da usina previa a construção de 44 unidades geradoras, com capacidade instalada de 3.300 MW.

Também foi aprovada a antecipação da entrega total de Jirau em 20 meses, de 31 de outubro de 2016 para 1 de março de 2015. Ao antecipar a entrada em operação, o consórcio poderá vender no mercado livre a energia produzida até o prazo em que passará a destinar a produção aos contratos vendidos no mercado regulado. As ampliações e antecipações foram condicionadas às condições de transmissão da energia.

Atrasos e greves – A linha de transmissão que permitirá a ligação da energia produzida pelas usinas de Jirau e Santo Antônio, ambas no Rio Madeira, está com suas obras atrasadas em mais de um ano, segundo o diretor da Aneel e relator do processo, Edvaldo Santana. A conclusão está prevista para 2014. A primeira etapa deverá entrar em funcionamento em janeiro de 2013.

Santo Antônio, que já tem quatro unidades geradoras em operação, tem preferência sobre Jirau no escoamento da energia produzida. A primeira usina construiu uma instalação de conexão e já consegue escoar a energia produzida para o sistema.

O consórcio para a construção da usina de Jirau é formado pela Chesf e Eletrosul, ambas da Eletrobras, cada uma com 20% de participação, GDF Suez, que possui 50,1%, e Camargo Correa, com 9,9%.

As obras de Jirau têm sofrido com diversas greves e manifestações. Recentemente, os trabalhadores de Jirau paralisaram a construção da usina reivindicando reajustes de salários. A greve durou 24 dias e terminou no começo de abril. Na última quinta-feira, os trabalhadores de Jirau e os representantes do consórcio das usinas chegaram a um acordo que prevê reajustes salariais de até 13%.

Leia mais:

Construtora confirma retomada das obras em Jirau

TRT nega liminar que pedia paralisação de obra em Jirau

Termina greve nas usinas de Santo Antônio e Jirau

(com agência Reuters)