Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Alemanha acredita no fim da crise em no máximo dois anos

'Os mercados financeiros se tranquilizarão', projetou o ministro das Finanças

O ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schauble, disse nesta sexta-feira que a crise de confiança dos mercados a respeito da zona do euro deve acabar em um ou dois anos. Schauble também reafirmou que Berlim deseja a permanência da Grécia no bloco monetário europeu.

“Em um período de entre 12 a 24 meses, os mercados financeiros se tranquilizarão”, projetou o ministro em entrevista para a rádio francesa Europe 1. A declaração Schauble é uma resposta à previsão do ex-ministro francês François Baroin, que estimou a continuidade da crise por quatro ou cinco anos.

Leia mais: França não vai ratificar pacto de austeridade sem mudanças

Crise grega – A respeito da Grécia, que desperta dúvidas sobre a permanência na Eurozona, Schauble reiterou o desejo alemão de que o país permaneça no bloco monetário europeu.

O presidente do Parlamento Europeu, o social-democrata alemão Martin Schulz, disse que a saída da Grécia da zona do euro não seria o fim do problema, e sim o início. “Muitas pessoas consideram o final de uma evolução negativa, mas considero que seria o início de uma evolução ainda mais negativa”, afirmou Schulz, que está em Atenas para um encontro com o presidente Carolos Papulias.

Já para o porta-voz da bancada liberal no Parlamento alemão, Rainer Bruderle, uma eventual saída da Grécia da Eurozona seria mais fácil hoje do que há dois anos. “Uma saída custaria muito dinheiro, mas seria controlável”, declarou, antes de ressaltar, no entanto, que a decisão cabe a Atenas e não a Berlim.

(Com agência France-Presse)