Ajuda para distribuidoras de energia sairá na próxima semana, diz governo

Autoridades sinalizaram que a ajuda será transitória e que as distribuidoras recuperarão o custo adicional pela compra de energia das térmicas na próxima revisão tarifária

O secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, disse que o governo está analisando a possibilidade de viabilizar financiamento para as distribuidoras de energia fazerem frente ao custo elevado da energia comprada das usinas termelétricas. Ele ressaltou, entretanto, que nenhuma decisão foi tomada. “Por enquanto, estamos discutindo a necessidade de fluxo de caixa e a não a assunção do custo. A ideia é um financiamento, se for necessário, porque, por conta da diferença de custos, pode causar alguma alavancagem transitória”, disse Barbosa , que está respondendo interinamente pela Fazenda, a jornalistas após participar de reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social.

Barbosa, entretanto, sinalizou que a eventual ajuda será transitória e que as distribuidoras recuperarão o custo adicional pela compra de energia das térmicas na próxima revisão tarifária. Pelas contas do setor, o uso das térmicas desde o fim do ano passado já gerou custo de pelo menos 4 bilhões de reais às distribuidoras.

Na terça-feira, o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, disse que o Tesouro poderia ajudar a compensar o custo com a energia das térmicas. Segundo ele, o órgão teria condições de participar por meio da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

Segundo o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, que também se pronunciou sobre o assunto nesta quarta, as empresas devem receber a ajuda com cifras entre 70% e 100% do valor excedente que estão desembolsando pelo uso das térmicas. “Vamos encontrar uma solução boa para as distribuidoras”, afirmou.

Leia também:

Custo das térmicas anula desconto de Dilma para a indústria

Eólicas poderiam ajudar a economizar R$ 1 bilhão das térmicas

Tesouro pode pagar a conta da energia térmica