Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aeroportos do Brasil não conseguem competir com Europa, diz Bittencourt

Ministro da SAC voltou a afirmar que não há prazo para novas licitações e que Infraero tem muito a aprender com consórcios

O ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Wagner Bittencourt, afirmou nesta terça-feira, em coletiva à imprensa, que nenhum aeroporto brasileiro tem qualidade suficiente para competir com qualquer similar na Europa, Ásia e Estados Unidos. Em contrapartida, disse que o problema pode ser resolvido no médio prazo, e que o objetivo de sua gestão é fazer com que, pelo menos um aeroporto, tenha qualidade internacional. “É um setor em que a capacitação e a qualidade do serviço de gestão e consultoria estão disponíveis no mercado”, afirmou durante o evento Airport Infra Expo, em São Paulo.

Bittencourt manteve o silêncio em relação às próximas licitações que devem ocorrer, sem dar prazos ou possíveis aeroportos que poderão ser entregues à iniciativa privada. “Isso ainda não está definido e está sendo discutido dentro de um planejamento estratégico de longo prazo do governo. Obviamente isso é uma alternativa, mas precisamos ter uma visão de longo prazo para que possamos acertar nas nossas decisões não só de infraestrutura dos aeroportos existentes, de novos aeroportos (…) e também de qual o papel que terá a parceria do setor privado”, disse.

O ministro ainda disse que a ideia da SAC é, até 2014, ter todos os aeroportos concedidos: tanto os que estão sob concessão exclusiva da Infraero quanto os aeroportos regionais que já contam com uma política de investimento definida e em execução.

De acordo com Bittencourt, agora estão sendo fechados os investimentos que serão destinados aos aeroportos regionais. “Estamos conversando com os Estados também, discutindo quais são os aeroportos nos quais vamos fazer os investimentos, já que não podemos investir nos 720 aeroportos existentes. Temos de priorizar os mais importantes, que sejam um polo de desenvolvimento”, disse. Ele afirmou ainda que os investimentos por parte da Infraero nos seus 63 aeroportos estão todos em dia, “as obras estão andando normalmente”.

Questionado novamente sobre o cumprimento dos prazos das obras para a Copa de 2014, o ministro reproduziu seu discurso de sempre: que o país estará preparado para receber o fluxo de passageiros. “Se estamos atendendo o dia a dia, que cresce à ordem de dois dígitos há três, quatro anos, certamente atenderemos bem a Copa do Mundo, as Olimpíadas, a Rio+20 e outros eventos.” De acordo com ele, no final do ano passado, a melhora da produtividade dos aeroportos da Infraero foi da ordem de 40%.

Delta – Bittencourt foi questionado se a SAC já fez algum levantamento sobre obras que estão a cargo da construtora Delta, alvo de denúncias de envolvimento em um suposto esquema de corrupção com o contraventor Carlinhos Cachoeira, e limitou-se a dizer que “a grande obra que tínhamos com a Delta era do novo terminal de Guarulhos, que foi construído e concluído dentro do prazo certo, em janeiro, e foi entregue dentro do preço acertado”.

(Com Agência Estado)