Aeronautas podem paralisar voos para Brasília contra reformas

Sindicato de pilotos e comissários de voo votará se interrompe voos com destino à capital federal como forma de prejudicar votações de reformas

Os aeronautas do país poderão suspender os voos com destino a Brasília (DF) na próxima semana para atrapalhar as votações no Congresso das reformas trabalhista e da Previdência. O plano é impedir que os parlamentares voltem para Brasília na próxima semana para votar reformas enviadas pelo governo Michel Temer.

De acordo com o presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), Rodrigo Spader, esse tipo de paralisação poderá ser uma das estratégias adotadas pelo movimento. “Essa é uma possibilidade. A greve é o último instrumento, não queremos parar o país inteiro, mas parando Brasília daríamos um recado de que as reformas necessitam de mais diálogos com a sociedade”, diz Spader. A votação da reforma da Previdência na comissão especial está prevista para a semana que vem.

Já a reforma trabalhista deve ser votada na Câmara ainda nesta quarta-feira (26) e, se aprovada, seguir para o Senado, onde começará a ser discutida.  Centrais sindicais e movimentos sociais convocaram para esta sexta-feira uma greve geral contra as duas reformas do governo Temer.

Segundo o presidente do SNA, outra possibilidade é paralisar todos os voos do país. A estratégia, porém, deverá ser votada em assembleias na quinta-feira (27), realizadas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre e Campinas.

“As estratégias [de greve] ainda estão sendo desenvolvidas, o formato ainda não está fechado e a decisão será tomada nas assembleias”, afirma Spader.

Aeroportos

Além de Brasília, os aeroportos de Cumbica, em Guarulhos, e Congonhas, em São Paulo,  deverão ter paralisações das atividades dos funcionários que trabalham nos locais.

Os aeroviários de Guarulhos decidiram na última segunda-feira  aderir à convocação das centrais sindicais. A categoria abrange os profissionais das empresas aéreas que trabalham em funções como check-in, auxiliar de serviços gerais, mecânicos de pista.

Os aeroviários do estado, entre os quais estão os  que trabalham em Congonhas, também vão parar na sexta-feira, segundo decisão da categoria em assembleia na última terça-feira. A recomendação é de interrupção de 100% das atividades.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. E aí temer chupa essa!

    Curtir

  2. Não é a toa que somos um país sub-desenvolvido e eterno. Com um povo deste, só se resolve a equação com emoção. Vamos quebrar de vez e virar um pais de 5a.

    Curtir

  3. Osmar Serrragem

    Idiotas prepotentes…Querem se impor sobre o povo?

    Curtir

  4. heloiza helena pias

    quero + q vc entrem em greve mesmo, só assim n haverá votação máximna nesta escolha burra e estupida.

    Curtir

  5. PAUNOMOLUSCO

    Põe na rua esses vagabundos. Entre os 13 milhões de desempregados, certamente há os queiram trabalhar.

    Curtir

  6. Social Democrata Nem Direita Nem Esquerda

    Que comece então as demissões. Pelo visto o PT ainda manda no Brasil.

    Curtir

  7. Os maiores devedores da previdência são os bancos protegidos pelo Meirelles, que prefere arrepiar os pobres e desempregados do que cobrar banqueiro.

    Curtir

  8. É só por no olho da rua os vagabundos e pilantras sindicalistase e chamar alguns dos 13 milhões de desempregados. Pelo fim do imposto sindical uma extorsão praticada pelos sindicalistas vagabundos, pilantras, vigaristas e canalhas.

    Curtir

  9. Edson A.Araujo

    ESSE TIPO DE GREVE SO QUEM GANHA E OS FUNCIONARIOS PUBLICOS SEUS OTARIOS ( VÃO EMENDAR SEXTA,SABADO,DOMINGO,SEGUNDA E SO VOLTAM NA TERÇA A TARDE E SO VÃO OU LOCAL DE TRABALHO NA QUARTA)

    Curtir

  10. Se fizerem esta sabotagem tem que ser todos demitidos e presos. Ora vejam!

    Curtir