Ação da Vale tem cotação mínima em 4 anos após temor sobre China

Os compradores de minério estão preocupados com um aperto financeiro no maior mercado mundial da commodity, que já sofre com uma demanda mais lenta por aço

As ações da Vale recuaram mais de 5% nesta segunda-feira, atingindo o menor nível intradiário desde setembro de 2009, com as preocupações sobre a economia chinesa pesando sobre os papéis da mineradora, em meio a um movimento de aversão a risco nos mercados globais.

Os preços do minério de ferro, principal produto da maior produtora da commodity do mundo, também recuaram nesta segunda-feira no mercado asiático após uma alta na semana passada, e integrantes do mercado apostam em uma tendência de queda nesta semana, por conta de uma paralisação das compras de reabastecimento por parte das siderúrgicas da China.

Leia também:

Dólar começa a semana em alta e bolsa despenca

Mercado piora projeção para PIB

Bolsas asiáticas fecham em queda com crise na China

Os compradores de minério estão preocupados com um aperto financeiro no maior mercado mundial da commodity, que já sofre com uma demanda mais lenta por aço. A queda das ações da Vale ocorre também após o Goldman Sachs reduzir nesta segunda-feira a sua previsão de crescimento da economia da China, principal cliente da mineradora brasileira.

A instituição reduziu previsões para a China neste ano e também para 2014, considerando um aperto das condições financeiras do país. “Agora nós esperamos um crescimento efetivo do PIB de 7,5% em bases anuais no segundo trimestre de 2013 (ante 7,8% anteriormente), e 7,4% e 7,7% para 2013 e 2014 respectivamente (contra 7,8% e 8,4% previamente)”, afirmou o banco em relatório.

Às 13h39, a ação preferencial da Vale caía 5,5%, a 26,87 reais, sendo a principal influência negativa para o Ibovespa, que tinha queda de 3,05% no mesmo momento. Na mínima do dia, a ação da Vale chegou a 26,75 reais.

(Com Reuters)