Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Superfície de Marte mudou completamente após erupção de vulcão gigante

O maior vulcão já visto no sistema solar causou a rotação das camadas superficiais de Marte - a crosta e o manto - em torno do núcleo

Há mais de 3 bilhões de anos, a erupção de um vulcão fez a superfície de Marte se deslocar, mudando rios e calotas polares de lugar. Segundo estudo divulgado na última quarta-feira pela Nature, por sua massa fora do comum, o cone vulcânico causou a rotação das camadas superficiais de Marte – a crosta e o manto – em torno do núcleo. A erupção foi tão grande que inclinou toda a face do planeta em 25 graus.

Segundo geofísicos e climatologistas que participaram do estudo, a pesquisa fornece uma resposta única para alguns mistérios do planeta vermelho. Os cientistas se questionavam sobre a posição de alguns reservatórios subterrâneos de gelo, qualificados como anomalia, já que estão situados longe de polos do planeta. Agora, a existência do vulcão gigante parece ter fornecido uma resposta plausível.

Leia também:

Como construir as primeiras casas em Marte

Conheça a ExoMars, a missão europeia que buscará vida em Marte

Cientistas criam mapa detalhado da superfície de Marte

“Não conseguíamos entender porque os rios estão onde estão atualmente”, disse Sylvain Bouley, especialista em relevo de planetas da Universidade de Paris-Sud e autor do relatório. “Dão a impressão de estar distribuídos de maneira aleatória, mas se a superfície for empurrada, todos ficam numa mesma parte tropical”.

De acordo com a equipe, o responsável pelas grandes mudanças foi o maior vulcão já visto no sistema solar. Chamado Tharsis, a formação em Marte é dez mil vezes maior que o vulcão mais poderoso que temos na Terra. “Se tal mudança ocorresse na Terra, Paris estaria hoje no Círculo Polar Ártico”, explicou Bouley. Mesmo sendo uma grande mudança para o planeta, o processo de deslocamento na superfície marciana foi lento. “Foi um fenômeno que durou centenas de milhões de anos”, afirmou o pesquisador.

(Com AFP)