Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Solo rochoso de Marte provoca danos nas rodas do Curiosity

De acordo com a Nasa, será preciso se adaptar e escolher as melhores rotas para o robô, mas a duração da missão não deve ser afetada

O impacto de se locomover continuamente sobre rochas marcianas pontudas está afetando a sonda Curiosity. Neste mês, cientistas da Nasa responsáveis pelo projeto notaram a presença de danos à rodas do robô, que causaram preocupação sobre a longevidade da missão.

Jim Erickson, diretor do projeto, disse ao Spaceflight Insider que, apesar de o desgaste ser planejado, no fim de 2013 o aparecimento de furos nas rodas do jipe foi maior do que o esperado, o que levou a agência espacial americana a monitorar continuamente a situação das rodas, e convocar uma equipe para descobrir as causas. A explicação encontrada para os furos e rasgos que apareceram precocemente das rodas é o desgaste do material. A fina superfície de alumínio da roda, com apenas 0,75 milímetro de espessura, foi desenvolvida para ceder e se “dobrar” conforme a necessidade. Quando o robô atravessa uma superfície muito rochosa, ela faz isso continuamente, até que, de tanto ceder e retornar à forma original, acaba sofrendo uma fratura.

Leia também:

Nasa apresenta novo modelo de roupa espacial para viagem a Marte

Cientistas criam mapa detalhado da superfície de Marte

Missão – Erickson afirma que as rodas podem suportar mais danos do que os atuais antes de apresentarem qualquer problema, mas que medidas seriam tomadas para que essa questão não se tornasse um fator limitante da missão. Algumas rotas foram recalculadas para evitar terrenos mais difíceis, e uma parte dos trajetos passou a ser feita de ré, medida que diminui a pressão nas rodas.

Nesta sexta-feira, a Nasa anunciou que o Curiosity vai mudar sua rota: em vez de perfurar a rocha “Bonanza King” para recolher amostras, ele vai atravessar uma vale de areia para seguir em direção ao seu destino, o Monte Sharp, escolhendo a rota cuidadosamente para evitar as pedras mais afiadas. De acordo com a Nasa, a equipe que opera o Curiosity espera ter que se adaptar continuamente às ameaças do terreno que ele vai percorrer, mas não acredita que este será um fator determinante da duração da missão.

Desde que pousou em Marte, em agosto de 2012, o robô já percorreu por volta de 8,8 quilômetros, e ainda está a 3 quilômetros de distância de seu alvo. De acordo com Erickson, o design das rodas será mudado no próximo jipe explorador de Marte, previsto para 2020.