Rússia lança rival do telescópio Hubble ao espaço

Radiotelescópio russo Spektr-R é capaz de produzir imagens com resolução 100.000 maior que as do telescópio americano Hubble

A Rússia lançou nesta segunda-feira o radiotelescópio Spektr-R, desenhado para ser o mais poderoso observatório do espaço profundo (regiões além da Lua que não sofrem a influência gravitacional da Terra) do mundo. É o primeiro deste tipo enviado por Moscou em 25 anos. Com uma antena de dez metros de diâmetro, o equipamento deve ser capaz de produzir imagens com uma resolução 100.000 vezes maior do que o famoso telescópio espacial Hubble.

O Spektr-R tem como objetivo desvendar alguns segredos dos mais enigmáticos objetos do universo: buracos negros, as misteriosas fontes luminosas dos quasares (corpos com núcleo galáctico ativo localizados nos confins do cosmo, parecidos com estrelas, só que com muito mais massa e emissão de radiação) e pulsares (pequenas estrelas de nêutrons que emitem forte energia eletromagnética).

“O telescópio irá permitir que olhemos para os locais mais longínquos do universo com uma boa resolução, recebendo dados sobre fenômenos extra-galácticos”, afirma Viktor Khartov, idealizador do projeto no Instituto Lavochkin. “O mundo inteiro está esperando por isso”.

O observatório – parte do projeto Radioastron – foi lançado com um foguete Zenit da plataforma de Baikonur, no Cazaquistão, e dá início ao projeto de um sistema unificado terrestre-espacial que envolve físicos da Rússia e de outros países. O Spektr-R deve seguir uma órbita elíptica a 340 mil quilômetros, beneficiado pela gravidade da Lua, durante pelo menos cinco anos.

Depois de um longo período sem enviar nenhum grande equipamento ao espaço, a Rússia planeja também enviar em novembro de 2011 a sonda Fobos-Grunt, que deve retornar à Terra com amostras de uma das luas de Marte. Será a primeira missão interplanetária russa depois da fracassada Mars 96.

(Com Agência France-Presse)