Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Paciente amputado controla próteses pelo pensamento

'Só estamos começando, é como os primeiros dias da internet', diz pesquisador

Um homem do Estado americano de Colorado foi o primeiro a testar uma prótese para os dois braços controlada pela mente, relatam pesquisadores da Universidade Johns Hopkins. O paciente, Les Baugh, perdeu os membros superiores em um acidente elétrico há quarenta anos.

Antes de testar as próteses, desenvolvidas pelo Laboratório de Física Aplicada da universidade, ele foi submetido a uma cirurgia. “Trata-se de um processo relativamente novo que designa os nervos que controlavam os braços e as mãos para outras funções. Assim, nós possibilitamos que a pessoa amputada controle suas próteses apenas pensando na ação que querem realizar”, explica Albert Chi, cirurgião de trauma da universidade.

Leia também:

Cientistas criam prótese de mão que restitui tato

Cachorro ganha próteses feitas em impressora 3D – e consegue correr pela primeira vez

Após a recuperação, ele passou por um rápido treinamento para aprender a controlar as próteses. Um colete de sustentação foi criado com as medidas dele, para apoiar a colocação das próteses sobre seus ombros e melhorar as conexões neurológicas.

Usando os braços mecânicos, o paciente conseguiu mover diversos objetos, inclusive mudar um copo vazio de uma prateleira para a outra. “Ele conseguiu fazer isso com apenas dez dias de treinamento, o que demonstra a natureza intuitiva da prótese”, afirma Courtney Moran, especialista nesses equipamentos.

“Nós só estamos começando, é como os primeiros dias da internet”, diz Michael McLoughlin, um dos pesquisadores. O próximo passo, segundo ele, é que Baugh possa levar as próteses para casa – por enquanto, ele precisa de supervisão dos pesquisadores para utilizá-las.