O pesado custo do aquecimento global

Estudo calculou quanto as metrópoles terão de gastar para lidar com os efeitos das mudanças climáticas. Cidades de maior população serão as mais afetadas

Com o século XXI perto de completar sua segunda década, termos como “mudanças climáticas” e “aquecimento global” já se tornaram perigosamente corriqueiros. Não por acaso. Numa escala capaz de causar assombro, a humanidade vem sistematicamente desequilibrando a temperatura da Terra. As atividades industriais, que começaram a mudar a face do planeta há quase 300 anos, poluíram os mares e os ares. Se é fácil detectar as consequências do aquecimento para o meio ambiente, não tem sido simples quantificar o impacto financeiro. Reportagem de VEJA detalha um novo estudo, publicado na semana passada pela Universidade de Sussex (Inglaterra), na qual os autores — economistas ingleses, holandeses e mexicanos — analisaram como o fenômeno deve exigir gastos estupendos de governos das 1 692 cidades mais populosas do globo. O trabalho concluiu que, em média, um município tem de dedicar 5,6% de seu PIB para reduzir o estrago.

Para ler a reportagem na íntegra, compre a edição desta semana de VEJA no iOS, Android ou nas bancas. E aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Os paises europeus tiveram mais frio este ano que anos anteriores. Moro na Polonia. Cade o aquecimento?? $$$$

    Curtir

  2. Rodrigo Pego

    Aquecimento global é uma farsa proposta por “cientistas” comunistas pra arregimentar massa de manobra. Nem cientificamente conseguiram comprovar a existência deste “fenômeno”. Vai explicar porque em 1872 houve a maior seca do Nordeste brasileiro onde 500 mil sertanejos morreram.

    Curtir

  3. Gustavo Praes

    Perai quero distância de esquerda e comunista. Mas… Me lembro que BH era geladeira no inverno na década de 80. Nunca senti frio em são Paulo. É o inverno no RS é fraquinho. Então me lembro uma de uma foto de uma montanha coberta de neve em Rezende RJ em 85. Havia muita geada em todo sudeste e hoje?? Inverno 2017 Toronto leve… Pouca neve. Se isso não é aquecimento global é o que então???

    Curtir

  4. Gean Rodrigues

    Ribe Silva, tá certo que neste ano a Polônia e Europa em geral tiveram muito frio em Janeiro. Mas e em Dezembro e Fevereiro que nem esfriou direito? E o Inverno de 15-16 que teve Dezembro e Fevereiro aberracionalmente quentes? E os fraquíssimos Invernos de 14-15 e 13-14 que mal tiveram ondas de frio aí na Polônia? Já foram 4 Invernos seguidos que terminaram acima da média aí na Polônia e Europa em geral. Cadê a farsa? Senta lá Cláudia!

    Curtir