Função de reentrada de nave da Virgin na atmosfera foi ativada antes da hora

Possibilidade de erro do piloto não foi descartada, mas investigação pode levar um ano para ser concluída

As investigações do acidente com a espaçonave da Virgin Galactic apontam que uma função que auxilia a reentrada na atmosfera foi ativada antes da hora, segundo o Christopher Hart, da Comissão Nacional de Segurança de Transportes dos Estados Unidos (NTSB, na sigla em inglês). Ainda é cedo, contudo, para afirmar que foi isso que causou a queda da SpaceShipTwo no deserto de Mojave, na Califórnia, na sexta-feira, matando um piloto e ferindo o outro gravemente.

Hart disse em entrevista coletiva no domingo que o voo foi amplamente documentado: havia seis câmeras na SpaceShipTwo e outras três na nave-mãe, a WhiteKnightTwo, usada no lançamento. Uma das câmeras mostra que a cauda rotativa de expansão da SpaceShipTwo, um recurso de segurança para o ingresso na atmosfera, foi destravada muito cedo pelo copiloto. “Não estou dizendo que essa é a causa do acidente”, ressalvou. “Temos meses e meses de investigação para determinar qual foi a causa.” Segundo ele, a investigação do caso pode levar cerca de um ano, mas isso não impede a Virgin Galactic de realizar novos voos de teste.

Questionado se a NTSB estava considerando a possibilidade de erro do piloto, Hart disse: “Não estamos descartando. Estamos olhando para todas essas questões para determinar a causa deste acidente… Estamos olhando para uma série de possibilidades, incluindo essa [de erro do piloto]”.

Leia também:

China lança primeira missão de ida e volta à Lua

Cargueiro espacial russo chega com suprimentos à ISS

Voos espaciais – A empresa, de propriedade do magnata Richard Branson – fundador do grupo Virgin -, deve lançar em 2016 os primeiros voos espaciais comerciais. Mais de 500 pessoas já reservaram seus lugares ao preço de 200.000 dólares, entre eles os atores Leonardo Di Caprio e Ashton Kutcher e a atriz Demi Moore. Branson e seu filho planejam embarcar no primeiro voo comercial.

Seu primeiro teste de motor em voo foi realizado com sucesso em abril do ano passado. O modelo da SpaceShipTwo é baseado em um protótipo chamado SpaceShipOne, que em outubro de 2004 conquistou o Prêmio Ansari X, de 10 milhões de dólares. A Virgin Galactic e sua parceira, a Aabar Investments PJC, de Abu Dhabi, gastaram 500 milhões de dólares no desenvolvimento da SpaceShipTwo e preveem desembolsar mais 100 milhões de dólares antes de iniciar o serviço comercial.

A empresa pretende construir mais quatro naves e vários jatos de transporte WhiteKnight, que também serão utilizadas para uma empresa de lançadores de satélites. Além do voo de passageiros, a Virgin Galactic está negociando parcerias com entidades de pesquisas, incluindo a Nasa, para transportar experimentos, com ou sem os cientistas.

(Com Agência Reuters)