Explosão vulcânica colossal pode ter extinto neandertais

Uma catástrofe ecológica na região da Rússia afetou a cadeia alimentar dos neandertais há 40.000 anos

Esse impacto teria prejudicado toda a cadeia alimentar acabando com a vida de grandes mamíferos, principal fonte de alimento dos neandertais

Os neandertais podem ter sido aniquilados por uma erupção vulcânica catastrófica há mais de 40.000 anos, de acordo com uma nova pesquisa realizada na Rússia. Os pesquisadores sugerem que uma explosão gigantesca causou um “inverno vulcânico” que devastou a população de neandertais. Os cientistas analisaram os sedimentos vulcânicos na região do Cáucaso, um ligar que marca a divisa da Europa com a Ásia entre os mares Cáspio e Negro. Os depósitos de poeira encontrados em uma caverna mostram que um desastre ecológico pode ter acabado com a vida vegetal da região, lar de muitos neandertais. Esse impacto teria prejudicado toda a cadeia alimentar acabando com a vida de grandes mamíferos, principal fonte de alimento desses homens pré-históricos. Não teria sido configurada uma aniquilação total, mas a falta de alimento na região pode ter levado os neandertais viver em pequenos grupos, ocasionando a posterior extinção da espécie. Uma das hipóteses já aventadas afirma que os neandertais teriam se acasalado com os Homo sapiens. O grupo de pesquisadores encontrou dois tipos de sedimento vulcânico correspondentes a duas erupções diferentes que ocorreram entre 40.000 e 45.000 anos atrás. A primeira erupção teria ocorrido no Cáucaso e uma segunda, de proporções massivas na região que hoje corresponde ao sul da Itália. Análises no material recolhido mostraram que o clima era muito frio e seco na época em que os sedimentos vulcânicos se formaram. Os dados relatados pelos cientistas russos vão de encontro com o fato de que os últimos registros de neandertais são de 38.000 anos atrás.