Estudo genético revela como ebola se espalhou pela África

De acordo com os cientistas, epidemia de 2014 teve origem na Guiné e depois se disseminou por Serra Leoa, Libéria e Nigéria

Como resposta ao maior surto de ebola da história, um grupo internacional de cientistas sequenciou e analisou 99 genomas do vírus. Com o estudo, publicado nesta sexta-feira, na revista Science, foi possível rastrear a origem e transmissão do vírus no surto atual – informações que são essenciais para o desenvolvimento de vacinas, diagnósticos e tratamentos. A pesquisa mostrou que o genoma do vírus atual tem mais de 300 modificações genéticas em relação às linhagens das epidemias anteriores da doença.

O estudo foi realizado pelo Broad Institute do MIT e Harvard, em colaboração com o Ministério da Saúde de Serra Leoa. Cinco dos 58 autores do artigo contraíram o vírus do ebola e morreram antes da publicação, entre eles o médico Sheik Humarr Khan, especialista na febre de Lassa – uma febre hemorrágica viral – do Centro Africano de Genômica de Doenças Infecciosas, Saúde Humana e Hereditariedade.

Primeiro surto – Segundo os autores, as linhagens de ebola atuais têm um ancestral comum com o primeiro surto da doença, ocorrido em 1976. Os pesquisadores traçaram o caminho de transmissão e as relações evolutivas das amostras, revelando que a linhagem da atualidade divergiu da versão do vírus nos últimos dez anos. Segundo eles, o surto de 2014 teve origem na Guiné e se espalhou por Serra Leoa, Libéria e Nigéria.

Leia também:

Senegal confirma primeiro caso de ebola

OMS: ebola pode infectar 20.000 pessoas em nove meses

(Com Estadão Conteúdo)