Em despedida de solteiro, amigos encontram fóssil de 3 milhões de anos

Descoberta do esqueleto de um estegomastodonte, ancestral do elefante, foi realizada em um parque no Estado americano do Novo México

Uma despedida de solteiro resultou em algo surpreendentemente útil: uma descoberta científica. Um grupo de amigos encontrou o esqueleto de um ancestral do elefante, de 3 milhões de anos e muito bem preservado, enquanto caminhava por um parque no Estado americano de Novo México.

O noivo e seus amigos estavam perto da cidade de Albuquerque – cenário do seriado Breaking Bad – quando viram um osso imerso na areia e decidiram cavar. Acreditando tratar-se de um mamute-lanoso, os amigos enviaram fotos do achado para o Museu de História Natural e Ciência de Novo México e descobriram que o animal era, na verdade, um ancestral ainda mais remoto do elefante, o estegomastodonte. Essa espécie tinha por volta de 3 metros de altura e migrou para a América do Norte cerca de 15 milhões de anos atrás, sendo extinto há 10.000 anos.

Arqueólogos se encarregaram de retirar do local o esqueleto, que pesa mais de 450 quilos, para levá-lo ao museu, onde será estudado e exposto. De acordo com os especialistas, este é o esqueleto mais completo já encontrado de um estegomastodonte. O paleontólogo do museu, Gary Morgan, estima que o animal tinha 50 anos e pesava mais de 6 toneladas quando morreu.

“O mais notável é que os homens que encontraram o fóssil não o estragaram”, afirma Beth Wojahn, porta-voz do museu, aparentemente surpreso com a sensatez do grupo. “E ainda chamaram as pessoas certas.”

Leia também:

Elefante consegue pronunciar palavras em coreano

Elefantes são capazes de ‘se consolar’ em momentos de angústia