Conheça a parede de musgo que vale por 275 árvores

Segundo os desenvolvedores, estrutura é 95% mais eficaz economicamente e ocupa 99% menos espaço, capturando cerca de 240 toneladas métricas de CO2 por ano

Imagine algo mais eficiente na limpeza do ar do que árvores. Que além disso, também é 95% mais eficaz economicamente e ocupa 99% menos espaço. Pois uma startup alemã conseguiu não só pensar, como desenvolver a ideia. Batizada de CityTrees, árvores urbanas, em inglês, a estrutura consiste em painéis de musgo que equivalem por até 275 árvores, capturando cerca de 240 toneladas métricas de dióxido de carbono (CO2) anualmente, afirmam os desenvolvedores. Em grandes cidades, além de decorar, cada painel reduz em até 30% da poluição local em um raio de cinquenta metros.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a poluição do ar causa até sete milhões de mortes por ano. Pensando neste problema, especialistas de arquitetura, engenharia, ciência da computação e biologia fundaram a Green City Solutions em 2014, uma empresa de desenvolvimento urbano sustentável, com o CityTrees como o principal dos projetos.

Além de trazer diversos benefícios, o painel de quatro metros de altura e três de comprimento é de fácil instalação e fica pronto em apenas seis horas. Placas solares captam a energia necessária para o funcionamento e a água da chuva é armazenada para abastecer a plantação. Segundo os desenvolvedores, ele raramente necessita manutenção. Mas, se for o caso, é possível realiza-la à distância, pelo computador, já que a estrutura tem sensores que monitoram a saúde das plantas, controlando sua umidade e temperatura. A “árvore urbana” também tem sensores que mensuram a qualidade do ar, avaliando a eficiência do painel.

(Green City Solutions/Facebook)

O musgo foi escolhido por ser a planta com maior área de superfície de folhas, ou seja, captura mais poluentes. Ela se alimenta de dióxido de nitrogênio (NO2) e partículas em suspensão (PM), poluentes sólidos e líquidos suspensos no ar derivados de processos de combustão das indústrias e de veículos. Estas substâncias, além de serem responsáveis por chuvas ácidas, são extremamente tóxicas para a natureza e para os seres humanos, podendo causar doenças respiratórias, como asma e bronquite, e alguns tipos de câncer.

Diversas espécies de musgo são cultivadas em uma fazenda em Dresden, na Alemanha, e escolhidas a dedo conforme o local de instalação, de acordo com a adequação quanto ao clima de cada cidade. A instalação já está presente em 25 centros urbanos, como Hong Kong, Paris, Glasgow, na Escócia, e Bruxelas, na Bélgica.

De acordo com os desenvolvedores, manter uma árvore tradicional custa, em média, 3.000 reais por década, enquanto o painel de musgos custa trinta vezes mais, 90.000. Mas, como ele é muito mais eficaz, é economicamente vantajoso a longo prazo. Além disso, a estrutura é geralmente feita por prefeituras em parceria com patrocinadores, que posicionam anúncios na estrutura, reduzindo os custos.

Confira o vídeo de apresentação do projeto com Dénes Honus, CEO da Green City Solutions (em inglês):

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Francisco Martins

    Ótimo!!!
    Mas as árvores ainda são indispensáveis nas cidades!!!
    Veja se o “muro verde dá aquela sombra!!!

    Curtir

  2. DEVIAM DAR O BRASIL PARA OS ALEMAES. O MUNDO AGRADECE.

    Curtir

  3. Antonio Carlos Peludo

    Bem que Domingos Fernandes Calabar tentou tirar o Brasil dos portugueses em abril de 1632 e dar para os holandeses.

    Curtir

  4. Fantástico! E prá agradar a todos plantem umas árvores perto.. Que tal encobrir/colocar na frente de muros cheios de grafites horrendos? São Paulo agradeceria e é claro que aí viriam os vândalos usuais. Colocar câmeras e um aviso como: Sorria que você está sendo filmado pros direitos humanos não protestarem etc… Linda ideia. Precisa ser mandado pros prefeitos de todas as cidades.

    Curtir