Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cientistas sequenciam genoma do gorila

Estudo inglês compara mais de 11.000 genes e revela que homens e gorilas são mais parecidos do que se imaginava

Pesquisadores do Wellcome Trust Sanger Institute, na Inglaterra, conseguiram completar o sequenciamento do genoma de um gorila, o último dos grandes primatas a ter seu DNA mapeado. Apesar de a ciência confirmar que o parente mais próximo dos seres humanos é o chimpanzé, o estudo, publicado na revista Nature, mostra que o nosso genoma se assemelha ao do gorila bem mais do que se imaginava.

Saiba mais

GORILA

Classe: Mammalia (Mamíferos)

Ordem: Primata

Família: Hominidae

Gênero: Gorilla

Espécie: Gorilla gorilla

Subespécie: Gorilla gorilla gorilla (gorila-das-planícies-ocidentais)

Kamilah, a fêmea de gorila cujo DNA foi sequenciado para o estudo

Usando o DNA de uma fêmea de gorila-das-planícies-ocidentais, a subespécie mais numerosa, os cientistas montaram uma sequência do genoma e, pela primeira vez, foram capazes de comparar os genes dos grandes primatas: o chimpanzé, o gorila, o orangotango e o homem.

O estudo comparou, ao todo, mais de 11.000 genes. Na análise, foi descoberto que os humanos e os chimpanzés são geneticamente mais próximos entre si na maior parte do genoma, mas a equipe encontrou trechos em que este não é o caso: 15% do genoma humano é mais semelhante ao genoma do gorila do que ao do chimpanzé, e 15% do genoma do chimpanzé é mais próximo ao do gorila do que ao dos homens.

“Sequenciar o genoma do gorila é importante porque ele aponta o momento em que nossos ancestrais divergiram. Ele também nos permite explorar as semelhanças e diferenças entre nossos genes e os do maior primata vivo”, diz Aylwyn Scally, principal autor da pesquisa. Os humanos têm entre 20.000 a 25.000 genes, contra 21.000 dos gorilas.

Similaridades – “Nossas descobertas mais significativas revelam não apenas diferenças entre as espécies, refletindo milhões de anos de divergências evolutivas, mas também similaridades”, conta Chris Tyler-Smith, coautor da pesquisa. Nas três espécies, genes relacionados ao desenvolvimento da percepção sensorial, da audição e do cérebro mostraram evolução acelerada, principalmente nos humanos e nos gorilas.

“Descobrimos que gorilas compartilham muitas mudanças genéticas paralelas com humanos – incluindo a evolução de nossa audição”, diz Chris. “Cientistas sugeriram que a rápida evolução dos genes de audição dos humanos estava ligada à evolução da linguagem. Nossos resultados colocam isso em questão, já que os genes de audição evoluíram em gorilas na mesma proporção que nos humanos”.

Divisão – O estudo também esclarece o momento de divisão entre as linhagens das espécies. Os gorilas teriam se separado da linhagem dos homens e dos chimpanzés há cerca de dez milhões de anos. Já a separação entre humanos e chimpanzés teria ocorrido quatro milhões de anos depois, informação que coincide com as evidências fósseis. A própria espécie dos gorilas também se dividiu em dois grupos, os da planície oriental e os da planície ocidental, há cerca de um milhão de anos.

Gorilas sobrevivem hoje em algumas poucas populações isoladas e ameaçadas de extinção nas florestas equatoriais da África Central. Sua quantidade diminuiu devido à caça e à perda de habitat.

Pergunta e resposta

Os seres humanos descendem dos macacos?

Não. O mais correto é dizer que os seres humanos também são grandes macacos, ‘primos’ de chimpanzés, gorilas e orangotangos. Essas três espécies partilham com o homem o mesmo ancestral. Orangotangos deixaram esse “tronco” principal entre 20 e 14 milhões de anos atrás e deram origem a um novo gênero. Os gorilas fizeram o mesmo por volta de 11 a 8 milhões de anos. E os chimpanzés entre 8 e 6 milhões de anos. Assim como os humanos, todos pertencem à mesma família: a dos hominídeos.

(Com Agence France-Presse)