Chineses descobrem “tio-avô distante” dos humanos, com 165 milhões de anos

Fóssil de parente distante dos mamíferos mostra que o animal tinha pelos

Apesar de se parecer com um esquilo ou outro roedor, o Megaconus mammaliaformis, um animal pré-histórico descoberto por meio de um fóssil encontrado na China, não é um mamífero. Ele habitou a Terra há cerca de 165 milhões de anos, antes do surgimento desses animais. Porém, por apresentar algumas características que o aproximam dessa classe, como o corpo coberto de pelos, ele é considerado um proto-mamífero, ou seja, um precursor desses animais. Ele pertence ao grupo Haramiyida, já extinto, que compartilha um ancestral em comum com os mamíferos modernos. O Megaconus foi descrito em um artigo publicado na primeira semana de agosto pela revista Nature.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: A Jurassic mammaliaform and the earliest mammalian evolutionary adaptations

Onde foi divulgada: periódico Nature

Quem fez: KChang-Fu Zhou, Shaoyuan Wu, Thomas Martin e Zhe-Xi Luo

Instituição: Universidade da Chicago, EUA, e outras

Resultado: Os pesquisadores encontraram no fóssil do Megaconus mammaliaformis, um antecessor dos mamíferos, características semelhantes a esses animais, como a presença de pelos no corpo e a formação dentária.

“Nós finalmente temos uma ideia do que pode ser a condição ancestral de todos os mamíferos, observando o Megaconus“, afirma Zhe-Xi Luo, professor da Universidade de Chicago e integrante da equipe de pesquisadores.

Descoberto na Mongólia Interior, região autônoma da China, o Megaconus é um dos fósseis mais bem preservados de ancestrais mamíferos já encontrados. Com cerca de 165 milhões de anos, ele coexistiu com os dinossauros emplumados no período Jurássico, antes do surgimento do Tiranossauro Rex, que viveu entre 70 e 65 milhões de anos atrás.

Características – O fóssil apresenta marcas de pelos, que são menos evidentes no abdômen, o que indica que ele provavelmente não os possuía nessa região. Nos calcanhares, ele possui uma espécie de espinho, provavelmente venenoso, semelhante aos encontrados em alguns mamíferos, como o ornitorrinco. “O Megaconus confirma que algumas funções biológicas encontradas nos mamíferos modernos apareceram antes deles”, afirma Luo.

Universidade de Chicago

Megaconus

Fóssil encontrado na China

As estruturas dentárias do animal também lembram a dos mamíferos. Foram identificados molares com pontas apropriadas para mastigar plantas. Os dentes anteriores mais largos, que seriam usados para comer insetos e vermes e talvez até mesmo pequenos vertebrados. A análise dos ossos desse animal sugere que ele teria um deslocamento semelhante ao dos tatus modernos.

Diferenças – Os pesquisadores encontraram também características que diferem o Megaconus dos mamíferos. Seu ouvido médio se parece mais com o dos répteis, assim como a coluna vertebral e os ossos do tornozelo.

“Nós não podemos dizer que o Megaconus seja nosso ancestral direto, mas ele certamente se parece com um tio-avô distante”, afirma o pesquisador.

Leia também:

Cientistas encontram fóssil de mamífero com 160 milhões de anos

Primeiro mamífero placentário surgiu após a extinção dos dinossauros