Cemitério de 1.200 anos é encontrado na Nicarágua por acaso

Os vestígios foram descobertos por operários que faziam escavações para a construção do Estádio Nacional de Beisebol, na capital do país

Um sítio arqueológico de 1.200 anos, com ossadas humanas e vasos de cerâmica, foi encontrado a oeste de Manágua, a capital da Nicarágua, onde existia uma cemitério pré-colombiano, disseram nesta terça-feira pesquisadores do país. Operários que faziam escavações para a instalação elétrica da iluminação do Estádio Nacional de Beisebol, que está sendo construído na cidade, descobriram os materiais por acaso. Segundo a diretora de Arqueologia do Instituto Nicaraguense de Cultura (INC), Ivonne Miranda, os restos “correspondem a um contexto funerário de 800 a 350 anos depois de Cristo”.

No sítio foram encontrados vestígios de enterros, urnas funerárias de cerâmica e restos humanos, segundo especialistas citados pela emissora estatal Canal 6. Uma ossada mostra um crânio com alguns dentes e extremidades, embora os restos correspondentes a mãos e pés estejam ausentes.

Também foram descobertos objetos que datam do mesmo período nas cidades de Masaya e Granada, ao sudeste de Manágua, e Rivas, ao Sul, explicou Ivonne. “Isto permite compreender um pouco melhor como foi a dispersão destes materiais em um mesmo espaço de tempo […] e tentar resgatar a identidade cultura dos antigos povoados de Manágua.” A descoberta arqueológica também “serve [para saber] como era o comportamento das sociedades pré-hispânicas”, assinalou a especialista.

O estudo das urnas funerárias está a cargo do INC junto com o Centro Arqueológico de Documentação da Universidade Nacional Autônoma da Nicarágua e da prefeitura de Manágua. As peças arqueológicas serão levadas para o Palácio Nacional da Cultura para a análise em laboratório, segundo Ivonne.

O terreno onde foi encontrado o cemitério ficou desabitado durante muitos anos. Ao seu redor, encontra-se a Universidade de Engenharia e um condomínio de militares construído na década de 1990.

(Com AFP)