Cassini captura novas imagens da pequena lua de Saturno

Segunda maior aproximação fornece imagens detalhadas de Helena

A sonda Cassini, um projeto colaborativo das agências espaciais norte-americana (Nasa) e europeia (ESA), completou finalmente seu segundo “encontro” com Helena – a gélida lua de Saturno. O resultado da aproximação, a segunda maior em toda a missão, é uma série de imagens da superfície deste pequeno satélite, que tem um raio médio de apenas 17,6 quilômetros.

Cassini voou a apenas sete mil quilômetros de distância de Helena, explorando tanto o seu lado claro, iluminado pelo Sol, como seu lado escuro. Além disso, a nave conseguiu capturar imagens da face voltada para Saturno. Em março de 2010, última vez em que a sonda esteve próxima da lua, a região estava iluminada apenas pelo reflexo dos raios solares que incidiam sobre o planeta.

O voo permitirá que cientistas finalizem a criação de um mapa global de Helena. Isso ajudará a entender melhor a história dos impactos da lua e dos canais observados em sua superfície em explorações anteriores.

Cassini voou a apenas sete mil quilômetros de distância de Helena

Missão Cassini – A sonda Cassini entrou na órbita de Saturno em junho de 2004 para começar a primeira investigação aprofundada do planeta e também dos corpos ao redor. Desde então, cientistas tiveram em mãos informações mais detalhadas sobre a atmosfera, campos magnéticos, superfícies e dinâmica de seus anéis.

O objetivo da missão é buscar informações sobre os anéis de Saturno, seu campo magnético e suas luas, em particular Titã – a maior delas, que encanta pesquisadores por sua atmosfera densa e ciclo hidrológico semelhante ao da Terra. Para especialistas, as condições observadas ali poderiam dar pistas de como devem ter sido os primeiros anos de vida de nosso próprio planeta.

O fim da missão está previsto para 2017. Até agora, a sonda capturou mais de duzentas mil imagens.