Avião solar concebido para chegar à estratosfera faz 1º voo teste

No futuro, a aeronave SolarStratos, movida completamente a energia solar, voará a 25 quilômetros de altitude, quase na fronteira do espaço

O primeiro avião solar projetado para voar na estratosfera (região entre 11 e 50 quilômetros da superfície terrestre) realizou nesta sexta-feira seu primeiro voo de teste em baixa altitude, na Suíça. SolarStratos, como foi batizada a aeronave, decolou de sua base no aeroporto de Payerna às 08h00 (03h00 de Brasília), dirigido pelo piloto Damian Hischier, informaram os responsáveis pelo projeto em um comunicado.

“O piloto de testes realizou um voo de sete minutos a uma altitude de 300 metros, antes de retornar à base”, apontaram, acrescentando que este primeiro passeio foi realizado com “sucesso”. No futuro, SolarStratos, que é totalmente movido a energia solar e não produz resíduos pela queima de combustível, voará a uma altitude de 25 quilômetros, façanha impossível de ser realizada por aviões de propulsão convencional. A ideia é proporcionar a cientistas e outros passageiros a experiência única de voar quase na fronteira com o espaço.

Segundo a empresa, a 25 quilômetros de altura, é possível ver as estrelas em plena luz do dia e a curvatura da Terra. Porém, manter um avião tripulado a tal altitude não é uma tarefa fácil. As temperaturas chegam a -70 graus Celsius e a pressão atmosférica é apenas 5% da normal, na superfície terrestre. Como o avião não será pressurizado, o piloto será obrigado a usar uma roupa de astronauta – que funcionará apenas com energia solar, o que também é inédito.

A aeronave, de 8,5 metros de comprimento e 24,8 metros de largura, pesa 450 quilos e é revestida com 22 metros quadrados de painéis solares, que lhe proporcionam uma autonomia de 24 horas.

O projeto foi idealizado pelo aventureiro suíço Raphaël Domjan que pretende realizar o primeiro vôo oficial do SolarStratos na estratosfera em 2018. Este trajeto deve durar cerca de cinco horas, sendo duas e meio de subida, 15 minutos na estratosfera cercado de estrelas, e três horas de volta à terra firme.

Em 2012, Domjan fez a primeira volta ao mundo com energia solar a bordo do PlanetSolar, que, apesar de se parecer ao SolarStratos por não queimar combustível, é um avião projetado para voar a alturas convencionais.

(Com AFP)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Uilton J. Romeiro

    Alguns caças como o Blackbird também conseguem alcançar os 25km de altitude, embora não sejam exatamente aviões convencionais.
    Mas o interessante desse avião solar é que poderia ser uma alternativa barata em alguns usos de satélites, como o geoprocessamento.

    Curtir